-

Secretaria da Justiça do Estado de SP objetiva regularizar 5 mil assentamentos

Se essa legalização de assentamentos for acompanhada de fundamentos do cooperativismo, haverá de fato enormes possibilidades de êxito

21 de fevereiro de 2019 às 15h19

O assunto da regularização das terras está com o secretário da Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, Dr. Paulo Dimas.

Assistindo a primeira reunião do Conselho de Gestão dessa Secretaria, acompanhei o assunto. O objetivo é dar a titulação, ou seja, a regularização de 5 mil títulos de assentamentos, a legalização para 5 mil assentados no estado.

Foto:: Dr. Paulo Dimas, Prof. Dr. José Luiz Tejon e convidados.
Fonte: http://www.justica.sp.gov.br/

A Reforma Agrária sem a regularização das terras, sem o título das terras, significa impossibilidade de progresso e de evolução sustentável no agronegócio.

Se essa legalização de assentamentos, essa titularizarão de 5 mil famílias assentadas for acompanhada de fundamentos do cooperativismo, haverá de fato enormes possibilidades de êxito no empreendedorismo desses pequenos produtores rurais.

Foto: Arquivo pessoal. Dr. Paulo Dimas, Prof. Dr. José Luiz Tejon e convidados.

A Organização de Cooperativas do Estado de São Paulo – Ocesp deve ser convocada para participar da formação de líderes da educação dos futuros cooperados e da implantação de uma filosofia cooperativista, considerada por estudiosos do mundo inteiro sob o ponto de vista de elevação de grandes massas humanas à dignidade econômica, tecnológica e humana.

O cooperativismo é o principal modelo de negócios do século XXI. Portanto, a Secretaria da Justiça e Cidadania significa um ponto de referência, um norte, um rumo de lei, de ética e de formação cidadã.

E no caso regularizar os títulos das terras dos assentados da Reforma Agrária, ao lado do cooperativismo, representaria um exemplo extraordinário para todo país.

Foto: arquivo pessoal.
Dr. Paulo Dimas e Prof. Dr. José Luiz Tejon.

Leia também:

-

Secretaria da Justiça do Estado de SP objetiva regularizar 5 mil assentamentos

Se essa legalização de assentamentos for acompanhada de fundamentos do cooperativismo, haverá de fato enormes possibilidades de êxito

21 de fevereiro de 2019 às 15h19

O assunto da regularização das terras está com o secretário da Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, Dr. Paulo Dimas.

Assistindo a primeira reunião do Conselho de Gestão dessa Secretaria, acompanhei o assunto. O objetivo é dar a titulação, ou seja, a regularização de 5 mil títulos de assentamentos, a legalização para 5 mil assentados no estado.

Foto:: Dr. Paulo Dimas, Prof. Dr. José Luiz Tejon e convidados.
Fonte: http://www.justica.sp.gov.br/

A Reforma Agrária sem a regularização das terras, sem o título das terras, significa impossibilidade de progresso e de evolução sustentável no agronegócio.

Se essa legalização de assentamentos, essa titularizarão de 5 mil famílias assentadas for acompanhada de fundamentos do cooperativismo, haverá de fato enormes possibilidades de êxito no empreendedorismo desses pequenos produtores rurais.

Foto: Arquivo pessoal. Dr. Paulo Dimas, Prof. Dr. José Luiz Tejon e convidados.

A Organização de Cooperativas do Estado de São Paulo – Ocesp deve ser convocada para participar da formação de líderes da educação dos futuros cooperados e da implantação de uma filosofia cooperativista, considerada por estudiosos do mundo inteiro sob o ponto de vista de elevação de grandes massas humanas à dignidade econômica, tecnológica e humana.

O cooperativismo é o principal modelo de negócios do século XXI. Portanto, a Secretaria da Justiça e Cidadania significa um ponto de referência, um norte, um rumo de lei, de ética e de formação cidadã.

E no caso regularizar os títulos das terras dos assentados da Reforma Agrária, ao lado do cooperativismo, representaria um exemplo extraordinário para todo país.

Foto: arquivo pessoal.
Dr. Paulo Dimas e Prof. Dr. José Luiz Tejon.

Leia também: