-

Iniciativas privadas precisam se unir para o agronegócio crescer

É hora das iniciativas privadas atuarem na estratégia de crescimento do agronegócio. Hoje, dia 22 de fevereiro, é comemorado o Dia da Agricultura na França. Um país que lidera o agronegócio europeu com uma grande consistência do seu sistema integrado de cadeias de valor. Eu estarei nas próximas duas semanas acompanhando o agronegócio a partir da…

22 de fevereiro de 2019 às 14h27

É hora das iniciativas privadas atuarem na estratégia de crescimento do agronegócio.

Hoje, dia 22 de fevereiro, é comemorado o Dia da Agricultura na França. Um país que lidera o agronegócio europeu com uma grande consistência do seu sistema integrado de cadeias de valor.

Eu estarei nas próximas duas semanas acompanhando o agronegócio a partir da França, com uma base na cidade de Nantes, ponto do comércio, da educação do agribusiness, no Vale do Loire, onde agregação de valor é o nome do show.

Também estarei em Paris, prestigiando o Salão da Tecnologia e Mecanização e participando da seleção de startups francesas que desejam vir ao Brasil.

Teremos reuniões com líderes de vários continentes para projetos de negócios e educativos do agronegócio no Brasil.

Isso quer dizer que quando falamos de agronegócio, o Brasil se eleva. Tem tamanho, e ao mesmo tempo, oportunidades maiores do que as suas já boas realidades.

Tenho cobrado nas redes sociais um papel protagonista, de liderança e de governança pelas elites das classes empreendedoras. E tenho dirigido uma convocação para a missão das Iniciativas privadas, as Confederações Nacionais Empresariais.

Pelo menos quatro delas, que congregam o que precisaríamos reunir para uma estratégia brasileira de agronegócio, desde a geração científica no antes da porteira, passando pelos produtores rurais no dentro da porteira e chegando nos consumidores finais, com a agroindústria, comércio e serviços, como toda a gastronomia, no pós-porteira das fazendas.

São elas: a Confederação Nacional da Indústria – CNI, agora sob investigação de procedimentos éticos na sua gestão; Confederação Nacional do comércio – CNC, Confederação Nacional da Agropecuária – CNA, Confederação Nacional do Transporte – CNT.

Com essas quatro locomotivas do agro, convidarem a Confederação do Sistema Financeiro, a das cooperativas, e por quê não as da Saúde e Turismo?

Agronegócio doravante é muito mais iniciativa privada articulada do que governo, que tem outras prioridades pra resolver.

Imagem: Freepik

Confederações nacionais empresariais, tomem o agronegócio como estratégia de crescimento do país. Se reúnam e sejam agentes da governança dessas cadeias produtivas.

É inadmissível num país líder mundial das carnes, frigoríficos, irem comprar milho no exterior, por exemplo. A Sociedade Civil Organizada precisa atuar.

Leia mais:

-

Iniciativas privadas precisam se unir para o agronegócio crescer

É hora das iniciativas privadas atuarem na estratégia de crescimento do agronegócio. Hoje, dia 22 de fevereiro, é comemorado o Dia da Agricultura na França. Um país que lidera o agronegócio europeu com uma grande consistência do seu sistema integrado de cadeias de valor. Eu estarei nas próximas duas semanas acompanhando o agronegócio a partir da…

22 de fevereiro de 2019 às 14h27

É hora das iniciativas privadas atuarem na estratégia de crescimento do agronegócio.

Hoje, dia 22 de fevereiro, é comemorado o Dia da Agricultura na França. Um país que lidera o agronegócio europeu com uma grande consistência do seu sistema integrado de cadeias de valor.

Eu estarei nas próximas duas semanas acompanhando o agronegócio a partir da França, com uma base na cidade de Nantes, ponto do comércio, da educação do agribusiness, no Vale do Loire, onde agregação de valor é o nome do show.

Também estarei em Paris, prestigiando o Salão da Tecnologia e Mecanização e participando da seleção de startups francesas que desejam vir ao Brasil.

Teremos reuniões com líderes de vários continentes para projetos de negócios e educativos do agronegócio no Brasil.

Isso quer dizer que quando falamos de agronegócio, o Brasil se eleva. Tem tamanho, e ao mesmo tempo, oportunidades maiores do que as suas já boas realidades.

Tenho cobrado nas redes sociais um papel protagonista, de liderança e de governança pelas elites das classes empreendedoras. E tenho dirigido uma convocação para a missão das Iniciativas privadas, as Confederações Nacionais Empresariais.

Pelo menos quatro delas, que congregam o que precisaríamos reunir para uma estratégia brasileira de agronegócio, desde a geração científica no antes da porteira, passando pelos produtores rurais no dentro da porteira e chegando nos consumidores finais, com a agroindústria, comércio e serviços, como toda a gastronomia, no pós-porteira das fazendas.

São elas: a Confederação Nacional da Indústria – CNI, agora sob investigação de procedimentos éticos na sua gestão; Confederação Nacional do comércio – CNC, Confederação Nacional da Agropecuária – CNA, Confederação Nacional do Transporte – CNT.

Com essas quatro locomotivas do agro, convidarem a Confederação do Sistema Financeiro, a das cooperativas, e por quê não as da Saúde e Turismo?

Agronegócio doravante é muito mais iniciativa privada articulada do que governo, que tem outras prioridades pra resolver.

Imagem: Freepik

Confederações nacionais empresariais, tomem o agronegócio como estratégia de crescimento do país. Se reúnam e sejam agentes da governança dessas cadeias produtivas.

É inadmissível num país líder mundial das carnes, frigoríficos, irem comprar milho no exterior, por exemplo. A Sociedade Civil Organizada precisa atuar.

Leia mais: