-

Luiz Pretti assume a presidência na Câmara Americana de Comércio

O presidente da Cargill no Brasil, Luiz Pretti, assumiu a presidência do Conselho De Administração da Câmara Americana de Comércio (Amcham). Ele assume a responsabilidade estratégica de direcionar as atividades por todo o Brasil. Isso é muito interessante para o agronegócio brasileiro, pois a Cargill é a maior empresa do agro no país e uma líder…

11 de abril de 2019 às 14h25

O presidente da Cargill no Brasil, Luiz Pretti, assumiu a presidência do Conselho De Administração da Câmara Americana de Comércio (Amcham). Ele assume a responsabilidade estratégica de direcionar as atividades por todo o Brasil. Isso é muito interessante para o agronegócio brasileiro, pois a Cargill é a maior empresa do agro no país e uma líder mundial com conhecimentos profundos do agronegócio planetário.

Entrevistado pelo jornal O Estado de S. Paulo, disse: “Os EUA são o maior consumidor do mundo. Não se pode ficar de malzinho, entre aspas, com eles”.

E de fato, ninguém de bom senso pode se afastar do maior consumidor do mundo, os Estados Unidos, que tem um PIB de cerca de 20 trilhões de dólares.

O Brasil tem 2 trilhões de dólares, ou seja, os americanos são 10 vezes maior que os Brasil.

Luiz Pretti registrou que somos apenas 1,2% do comércio mundial, e ressalta que praticamente a metade do PIB dos países que progrediram suas bases econômicas foi graças ao comércio internacional.

Precisaremos minimamente dobrar de tamanho no comércio internacional e no agronegócio para o Brasil crescer.

O presidente da Cargill, e agora também da Amcham, afirma que fazer negócios com os Estados Unidos não significa em nada abandonar a China, muito pelo contrário, a China como maior consumidor de produtos agropecuários do planeta continuará tendo ótimas relações com o Brasil.

Um fator hoje considerado de relevante incerteza sobre os mercados agrícolas, é exatamente a guerra comercial.

Imprevisível o que pode ocorrer com qualquer acordo ou destemperamento, principalmente envolvendo os grandes, como Estados Unidos, China e Europa.

Luiz Pretti com toda certeza é um brasileiro com um dos melhores conhecimentos a respeito do mercado mundial de commodities.

As relações potenciais entre Estados Unidos e Brasil é uma boa notícia, pois num reino de instabilidades e incertezas, nada melhor do que termos numa instituição importante para os negócios e o comércio na Câmara Americana um executivo que sabe muito.

 

Leia também:

-

Luiz Pretti assume a presidência na Câmara Americana de Comércio

O presidente da Cargill no Brasil, Luiz Pretti, assumiu a presidência do Conselho De Administração da Câmara Americana de Comércio (Amcham). Ele assume a responsabilidade estratégica de direcionar as atividades por todo o Brasil. Isso é muito interessante para o agronegócio brasileiro, pois a Cargill é a maior empresa do agro no país e uma líder…

11 de abril de 2019 às 14h25

O presidente da Cargill no Brasil, Luiz Pretti, assumiu a presidência do Conselho De Administração da Câmara Americana de Comércio (Amcham). Ele assume a responsabilidade estratégica de direcionar as atividades por todo o Brasil. Isso é muito interessante para o agronegócio brasileiro, pois a Cargill é a maior empresa do agro no país e uma líder mundial com conhecimentos profundos do agronegócio planetário.

Entrevistado pelo jornal O Estado de S. Paulo, disse: “Os EUA são o maior consumidor do mundo. Não se pode ficar de malzinho, entre aspas, com eles”.

E de fato, ninguém de bom senso pode se afastar do maior consumidor do mundo, os Estados Unidos, que tem um PIB de cerca de 20 trilhões de dólares.

O Brasil tem 2 trilhões de dólares, ou seja, os americanos são 10 vezes maior que os Brasil.

Luiz Pretti registrou que somos apenas 1,2% do comércio mundial, e ressalta que praticamente a metade do PIB dos países que progrediram suas bases econômicas foi graças ao comércio internacional.

Precisaremos minimamente dobrar de tamanho no comércio internacional e no agronegócio para o Brasil crescer.

O presidente da Cargill, e agora também da Amcham, afirma que fazer negócios com os Estados Unidos não significa em nada abandonar a China, muito pelo contrário, a China como maior consumidor de produtos agropecuários do planeta continuará tendo ótimas relações com o Brasil.

Um fator hoje considerado de relevante incerteza sobre os mercados agrícolas, é exatamente a guerra comercial.

Imprevisível o que pode ocorrer com qualquer acordo ou destemperamento, principalmente envolvendo os grandes, como Estados Unidos, China e Europa.

Luiz Pretti com toda certeza é um brasileiro com um dos melhores conhecimentos a respeito do mercado mundial de commodities.

As relações potenciais entre Estados Unidos e Brasil é uma boa notícia, pois num reino de instabilidades e incertezas, nada melhor do que termos numa instituição importante para os negócios e o comércio na Câmara Americana um executivo que sabe muito.

 

Leia também: