Evento da aviação agrícola chega a Sertãozinho tendo crescido 100% em três anos

   O Congresso da Aviação Agrícola do Brasil foi lançado na manhã dessa quinta-feira (dia 2) na Agrishow de Ribeirão Preto/SP e ocorrerá de 30 de julho a 1º de agosto na vizinha Sertãozinho. Ao que tudo indica, evento que já era um dos maiores do mundo no setor terá novos recordes para este ano, segundo diretor do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), Thiago Magalhães, na apresentação durante a cerimônia ocorrida no estande do sindicato aeroagrícola. O ato teve a participação do secretário de Desenvolvimento Econômico de Sertãozinho, Paulo Roberto Gallo, além de empresários aeroagrícolas, patrocinadores, expositores, representantes de entidades do agronegócio, de instituições de ensino e outros parceiros.  

   Coordenador do grupo encarregado de preparar o Congresso, Thiago mostrou empolgação com os números que comprovam um crescimento de mais de 100% no evento, desde a edição de 2016, ocorrida em Botucatu/SP e que marcou a entrada do Sindag no comando total de seu evento (que antes tinha a organização terceirizada). O Congresso teve um aumento de 70% na área da mostra de tecnologias e equipamentos (853 m2 para os 1.434 m2 previstos em 2019) e cresceu 68% desde a aquele ano (de 1.255 visitantes para 2.100 em 2018, na edição de Maringá/PR).

Lançamento da edição 2019 do Congresso ocorreu no espaço do Sindag na Agrishow

   Já o número de expositores deve bater este ano o incremento de 100% em quatro edições – foram 52 estandes em Botucatu, 71 em 2017, em Canela/RS, 91 no ano passado e já chegando a 120 no número de espaços reservados para Sertãozinho. Desempenho excepcional para um setor altamente especializado. Os dados empolgaram também o secretário Gallo, que se declarou contente pelo fato de que sua cidade “vai sediar o maior evento aeroagrícola de todos os tempos no Brasil”.

   O Sindag ainda permanece na Agrishow até essa sexta. demonstrando o projeto Aviação Agrícola 360° – realizado pelo instituto de Aviação Agrícola do Brasil (Ibravag), em parceria com a empresa Smarth Composer, onde os visitantes fazem uma verdadeira imersão em uma operação sobre lavoura. Com a ajuda de óculos de realidade virtual o público pode acompanhar todos os passos, desde o briefing na sala dos pilotos até a preparação do avião e o voo sobre a plantação. O foco é mostrar ao público a eficiência da ferramenta aérea e sua segurança tanto para as pessoas quanto para o meio ambiente.

IMPORTÂNCIA

   O Congresso da Aviação Agrícola do Brasil terá este ano seus três dias de movimentação no Centro de Eventos Zanini, na zona oeste de Sertãozinho – na Região Metropolitana de Ribeirão Preto. A programação terá cerca de 30 palestras e debates sobre inovações técnicas, demandas, perspectivas e do setor, nos três auditórios da feira. Além disso, serão mais de 100 expositores de aeronaves, serviços e tecnologias embarcadas, sem falar nas demonstrações aéreas de aviões e drones.

   Entre as indústrias de aviões, está confirmada a presença da norte-americana Air Tractor (maior fabricante mundial do setor) e da brasileira Embraer (que domina 60% do mercado nacional). Sem falar nas empresas de tecnologias embarcadas do Brasil, Estados Unidos, Canadá e Europa.

   Além disso, o congresso realizado pelo Sindag vem este ano no embalo do crescimento de quase 4% na frota do setor, segundo levantamento feito no início do ano junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Especialmente em São Paulo, a ferramenta aérea é essencial no cultivo da cana-de-açúcar, soja e milho, além de ser importante também na produção de cítricos, banana e outros produtos.

   A aviação também é a única ferramenta para o trato de lavouras com regulamentação própria (e extensa) e com maior exigência de pessoal tecnicamente qualificado – pilotos, agrônomos e técnicos agrícolas com especialização. Por isso mesmo também a mais facilmente fiscalizável e a que mais investe em ações de boas práticas.

   O Brasil tem cerca de 2,2 mil aeronaves atuando em lavouras e São Paulo está em terceiro no ranking nacional, com 317 aviões e helicópteros agrícolas. Além disso, o País tem uma das melhores e a segunda maior frota aeroagrícola do planeta, perdendo apenas para os Estados Unidos – que tem cerca de 3,6 mil aeronaves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *