Rumos e projeções de consumo no Brasil de azeites e azeitonas neste ano

Estamos praticamente no final do ano e já é possível fazer alguma previsão baseados em números oficiais do Conselho Oleicola Internacional (COI) do consumo de azeites  a azeitonas de mesa pelos brasileiros. Falando em números gerais , segundo o COI,  a produção de azeites para a campanha que termina em 2018 será de 3,31 milhões de toneladas no mundo, um acréscimo de 723,5 mil toneladas que a campanha que se findou em 2017, somando um acúmulo de 25%.

Dessa produção, também em números absolutos,  os países associados ao COI tiveram uma participação de 94,5%. De outra parte  o que deverá ser consumido ao redor do mundo será  cerca de 2,96 milhões de toneladas para esse mesmo período.

Com base nesses números  e levando em conta a “veceria” ( ano produz e outro ano produz menos) também há uma projeção de  um decréscimo  de produção para campanha que terminará em 2019 de cerca de 8% . Essa mesma Entidade já projeta uma produção de, no máximo 3,06 milhões de toneladas para esse período.

Consumo de  azeites e azeitonas no Brasil  para 2018

Levando em conta esses números  apresentados pelo COI  e trazendo os mesmos para nossa situação, em particular, tivemos no Brasil  para o período de janeiro  a julho de 2018 um consumo de 44,715 toneladas de azeite . Fazendo uma comparação com o mesmo período do ano passado, verificamos que houve um acréscimo de cerca de 45%  no consumo de azeite de oliva no Brasil, pois para o mesmo período de sete meses em 2017 foram consumidos 30,3 toneladas de azeite.

Por outro lado, no que tange a  azeitona de mesa,  ocorre um fenômeno inverso. Considerando os mesmos períodos, em 2018  foram consumidas 61.493 toneladas de azeitona de mesa contra 64.198 toneladas do ano passado, o que significa uma diminuição de 4%.

Com base nesses números, considerando as festas de fim de ano e a situação atual do dólar, pode-se projetar  que o Brasil  em 2018 deverá importar  cerca de 80 mil toneladas de azeite (um patamar que ainda não chegamos)  e  cerca de 110 mil toneladas de azeitona de mesa. São números bem expressivos.

Há um viés de grande crescimento na importação de azeites e uma certa estagnação na importação de azeitonas de mesa nesses últimos dois anos, mas os números não deixam de ser bem importantes no consumo, o que faz o Brasil ser considerado um  dos três melhores mercados para azeite de oliva e azeitona de mesa, considerando que ainda não somos produtores importantes, pois estamos bem no início do processo de implantação da cultura no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *