Crescimento importante das importações de azeites e azeitonas pelo Brasil

 

É preciso separar as questões relacionadas com os dados apresentados pelo COI  relativas aos dados de importações feitas pelos diversos paises consumidores de  azeites e azeitonas . Assim para que se entenda melhor a estatística oficial do Órgão máximo do Setor  é preciso não relacionar o nosso ano comercial com o periodo dos dados apresentados. Os paises  produtores tem um modo diferente de considerar os dados estatísticos com relação a esses dois produtos. Elas fazem coincidir  esses dados com as campanhas de produção, então , esses sempre se referem ao inicio da campanha que começa em outubro de um ano e termina em setembro do ano seguinte. Dito isso vamos aos mesmos, suas avaliações e leituras.

O Brasil é o segundo maior importador de azeites  e azeitonas do mundo  e, nesse posto se mantém há algum tempo. Nosso país só fica atrás dos EUA .  É um mercado, portanto, gigantesco para esses dois  produtos. Os dados da campanha 2017/2018 mostram que o Brasil importou cerca de 77 mil toneladas  de azeite de oliva e  110 mil toneladas de azeitona de mesa. Com  os crescimentos previstos de 11% e 10% , respectivamente, para importação desses produtos na campanha 2018/2019, nosso país importará  cerca de 90 mil toneladas de azeite  e 121 mil toneladas de azeitonas de mesa.  Isso por si só dá uma ideia da importância do Brasil no contexto de consumo dos mesmos.  Já escrevi  nesse espaço que em 2010/2011 tinhamos feito um trabalho de projeção estatística de importação desses dois produtos, inclusive, esse trabalho enviamos para o próprio COI na época  fazendo as projeções desse mercado . Naquela época já previamos alguma coisa perto desses números, más  para uma data um pouco anterior 2015/2016,  e, que só não se concretizou pelo fato de termos uma crise em 2013/2014 e 2015 . Nossos grandes fornecedores  no item azeite  são: Portugal com 58,8%  do mercado; Espanha com 16,1%; Argentina com 9,9%; Chile com 7,4% e Itália com 5,5% e  com relação a azeitona de mesa  nossos maiores fornecedores são: Argentina  com 58,7% do mercado;Egito com 29,5%; Peru com 7,4%  e Espanha com 6,1%. Com esses dados é fácil ver  que nossos maiores fornecedores de Azeites e Azeitonas de mesa são Portugal e Argentina. A  grande questão que fica pendente com relação específicamente aos azeites de oliva  e a relação importação e qualidade. No momento de detalhar os mesmos, os informes nos mostram que    85,5%  dos azeites importados são  extra virgem e virgem. Não separando-os.  Como já tivemos a oportunidade de escrever se sabe que existem diferenças de qualidade   entre os mesmos. Não vou me atrever a fazer previsões mas acredito que a maior parte desse percentual  é azeite virgem.  O azeite virgem é um azeite com algum defeito, portanto, de qualidade inferior  . Essa qualidade é fundamental  para as escolhas que fizemos  na hora de compra do produto.   Como essa separação não é feita,  há uma certa confusão na hora da compra do produto pelos consumidores  e também de toda uma gama de controle  pois , no caso  de azeites envazados no Brasil,  todos podem  se transformar em extra virgem, enganando de uma certa forma o consumidor final. Isso já foi pior, mas precisamos melhorar  até que tenhamos sempre produtos de alta qualidade a nossa disposição.    O consumidor precisa ficar atento para não comprar gato por lebre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *