Daoud: PT desafia democracia e confunde seus adversários

A defesa do ex-presidente lula, preso e condenado na  Operação Lava Jato, desistiu do processo no Supremo Tribunal Federal que discutiria o pedido de liberdade e possivelmente a condição do petista para disputar a Presidência da República.

O pedido foi direcionado ao relator do processo, Edson Fachin, que vai ficar responsável pela decisão de homologar a desistência de Lula. Essa estratégia da defesa do petista é para evitar que o Supremo discuta sobre a questão de inelegibilidade antes do Tribunal Superior Eleitoral, onde é feito o registro de candidatura.

Essa, meus amigos, é uma estratégia na qual o PT desafia a democracia e tenta encurralar os seus adversários. Afinal de contas, o ex-presidente Lula está enquadrado na lei da Ficha Limpa e, utilizando os dispositivos legais, ele colocou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como seu vice e deixou a Manuela D’ávila à espera para entrar nessa chapa.

Foto: divulgação

Com isso, Lula pretende levar ao Nordeste a figura do Haddad, para fazer uma transferência de votos. Isso faz com que os outros partidos mais à esquerda se enfraqueçam, enquanto o PSDB e o Meirelles atacam o Bolsonaro.

A ideia do PT é levar a candidatura o mais próximo possível das eleições, para quando o Haddad virar o candidato oficial, a chapa já esteja na segunda colocação. Mas o que não podemos é aceitar esse tipo de política, de enganação.

Não podemos aceitar um presidiário querendo comandar a política do Brasil. Isso é um absurdo!

Confira o comentário completo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *