Veja cinco problemas que os novos governantes precisam resolver com urgência

Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

O Brasil vive um período nebuloso e vem adiando algumas decisões importantes que influenciam diretamente na vida do povo.

Falta menos de um mês para as eleições e, seja qual for o resultado, o novo presidente precisará enfrentar alguns assuntos urgentes e importantíssimos para o povo brasileiro. Listo, abaixo, cinco pontos fundamentais para a recuperação do Brasil nos próximos quatro anos:

  1. Mudança para o sistema de voto distrital

Nós lemos e relemos as propostas de todos os partidos e chegamos à conclusão de que, para ter essas reformas, precisaríamos de mudanças constitucionais. A primeira conclusão é que precisamos de uma mudança no sistema eleitoral, onde o parlamentar eleito tenha um compromisso com os programas do partido.

Entendemos que o parlamentar não pode mais ficar mudando de partido ou votando contra os interesses do partido para conseguir coisas do governo. Por outro lado, poderíamos diminuir o número de representantes no Congresso nacional. Por isso, acho que devemos ter o voto distrital.

  1. Mais critérios para a criação de partidos políticos

Existe uma verba do governo na casa dos R$ 2,7 bilhões que é dividida para os partidos de acordo com o número de deputados. Então, o que nós percebemos é que, se você é capaz de agremiar dois ou três deputados, você tem um partido que não se sabe para que serve e tem o dinheiro do governo.

A mudança de critérios é essencial para diminuir o número de partidos que não possuem nenhum programa programa.

  1. Reforma da federação com atribuições claras entre União, Estados e municípios

Hoje, cerca de 70% da arrecadação é centralizada no governo federal, que distribui para os estados e municípios. A gente percebe que há uma prevalência ideológica nessa distribuição, que privilegia alguns governadores ou prefeitos.

Em outro ponto, existe município que faz atividade do Estado e Estado que faz atividade da União, principalmente nas áreas da saúde, educação e segurança. Se gasta uma energia muito grande com isso, que acaba, muitas vezes, quebrando o estado ou o município.

Precisamos definir o que cada uma das esferas faz e com qual dinheiro essas ações serão feitas.

  1. Reforma administrativa

Precisamos mudar o tipo de gestão do Estado. Hoje, o governo cria etapas de administração para poder empregar e quase que 80% do orçamento está engessado com a folha de funcionários.

Um exemplo é o Museu Nacional do Rio de Janeiro, onde 85% do dinheiro destinado ao museu era destinado ao pagamento de funcionário e vimos o que aconteceu.

  1. Reforma tributária

A reforma sempre foi um desejo do brasileiro, porque quem paga quer pagar menos e quem recebe, o governo, quer receber mais. Quando se faz a reforma, se cria a sinergia entre do papel dos entes da nação e pode otimizar as atividades com os recursos que você tem e possibilitar que o Estado passe a propiciar o crescimento do Brasil.

  1. Reforma da Previdência

    Foto: ANPR

     

A reforma da Previdência precisa ser feita com clareza. Não se pode jogar nas costas do pobre trabalhador a responsabilidade pelo quebra da previdência.

Nós sabemos que 800 mil funcionários públicos aposentados usam quase R$ 100 bilhões dos cofres públicos para complementar a aposentadoria.

A reforma da Previdência é muito importante, mas essa história de reforma de maneira que possa constituir um fundo para restituir a esses eventos é impossível, pois a necessidade é muito grande diante da possibilidade financeira para se constituir esse fundo.

Muito bem estudados esses pontos, podemos evoluir como nação. É preciso um consenso entre a sociedade e os partidos para que possamos reformar a sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *