Daoud: Governo Bolsonaro precisa tomar cuidado com a política externa

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O governo Bolsonaro nem começou, mas tem colecionado algumas polêmicas envolvendo a política externa e, ao meu ver, é preciso ter cuidado como o Brasil vai atuar neste campo. A escolha do novo chanceler, por exemplo, tem desagradado quem é da área, já que ele sequer chegou a chefiar uma embaixada. A escolha foi por ele ter colaborado, por meio de um blog, com a campanha do presidente eleito.

Ernesto é afinado com as políticas de Donald Trump e Bolsonaro pode ter enxergado nele o viés que ele defende.  Meus amigos, vocês sabem que eu sempre defendi o Brasil como pátria e sua soberania, mas uma coisa sou eu, como analista falar. Por outro lado, é temeroso representantes da nação saírem polemizando, como fez Paulo Guedes, ao atacar o Mercosul.

Eu sempre defendi a saída do Brasil do Mercosul, mas o futuro ministro da economia falar isso, deste jeito, gera uma desconfiança. Outro exemplo foi o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, falar que a Noruega precisa aprender com o Brasil sobre meio ambiente.

Eu sempre critiquei as Ongs se intrometendo nas questões nacionais, mas um futuro ministro tão importante atacar outro país dizendo eles precisam aprender com a gente é outra coisa. Jair Bolsonaro falou sobre a questão da embaixada de Israel, o que provocou uma resposta imediata do Egito. E, por fim, tivemos a questão do programa Mais Médicos, envolvendo Cuba.

Inteligência nas relações

Meus amigos, o Brasil não precisa ter uma relação de amor com Cuba ou Venezuela, mas temos que entender as relações diplomáticas. Por exemplo, os Estados Unidos criticaram muito a Arábia Saudita, mas são parceiros, assim como Venezuela de Maduro e o país de Trump possuem negócios em comum.

Nós temos que ter cuidado. Eu penso que não devemos ter relação com países que só nos trazem problemas, como Venezuela e Argentina, mas é preciso entender que por trás dos governantes há um país que precisa estabelecer uma boa relação com as demais nações.

É preciso ter cuidado também com as declarações que são dadas pelas redes sociais, de forma intempestiva. E posso dizer isso com muita propriedade, pois sempre condenei tais relações, mas como representante oficial de uma nação, não faria desta forma que estão fazendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *