‘Plano B’ de Paulo Guedes pode atrasar ainda mais o desenvolvimento do Brasil

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Nós já comentamos aqui nesta semana as possíveis consequências causadas pela indefinição do governo sobre a reforma da Previdência. Afinal, o governo Bolsonaro foi eleito com essa prioridade.

Mas, ao que tudo indica, vem tomando corpo na cabeça do ministro da Economia a proposta de um “Plano B” para estabilizar as contas públicas. A intenção de Paulo Guedes seria atribuir ao Congresso Nacional, governadores e prefeito o controle do orçamento da União.

Mas Daoud, isso já não é feito?

Não, meus amigos. Atualmente, cerca de 96% desse orçamento tem receitas veiculadas legalmente ou constitucionalmente a despesas pré-determinadas, como os setores de saúde, educação e segurança. As emendas que os deputados fazem para atender a região de seus colégios eleitorais não chega a R$ 10 bilhões, o que é muito pouco diante do montante total de R$ 1,5 trilhão.

Na prática, meus amigos, dar esse dinheiro todo para os parlamentares, governadores e prefeitos definirem quais são as prioridades é uma boa ideia. Mas, você sabem muito bem como funciona esse nosso Brasil e podem muito bem vislumbrar no que isso iria resultar.

A União repassa o dinheiro e esses políticos vão favorecer quem? Amigos, empresas de dos amigos? É um modernismo que, definitivamente, não funciona na nossa sociedade.

Bolsonaro precisa se envolver

Eu tenho uma admiração pelo presidente, que foi escolhido para colocar o país nos eixos. Mas seu governo  não pode agir dessa forma, pois cada ministro fala uma coisa e me vem o Paulo Guedes com esse tal “Plano B”, que ninguém sabe se vai funcionar  por causa da complexidade.

Eu continuo defendendo Bolsonaro, mas acima de tudo eu defendo a minha pátria.

Essas atitudes do Paulo Guedes vão fazer com que a agricultura saia das mãos dos pequenos e migre, cada vez mais, para a mão dos grandes.

O Brasil precisa caminhar e vai caminhar com processos corretos. Essa proposta do “Plano B” pode gerar ainda mais obstáculos para o desenvolvimento econômico do Brasil e estaremos aqui, de olho em tudo isso.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *