Lula usa cela como comitê eleitoral da própria campanha

Depois de cinco dias, a Marcha Nacional Lula Livre, promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), chegou à Brasília nesta quarta-feira, dia 15.  Essa foi, sem dúvida, uma grande manobra do Partido dos Trabalhadores (PT) para chamar a atenção para a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que continua a comandar essa campanha eleitoral do interior de sua cela em Curitiba.

Meus amigos, o que o PT e o Lula estão fazendo é uma afronta ao povo brasileiro. Não é por acaso que a Operação Lava Jato já está de olho nas articulações do petista do interior da Polícia Federal e a informação que tenho é de que os procuradores federais pedem que não sejam mais autorizadas visitas da presidente do PT e senadora Gleisi Hoffman, já que ela foi incluída na equipe de advogados do ex-presidente, o que lhe permite visitas a qualquer momento.

É por esse motivo que eu fico revoltado. Afinal, o Brasil é o único país que tem um presidiário à Presidência da República. Ele e o partido desafiam a população brasileira e a justiça, taxando a todos como idiotas.


Manifestação do MST

Quero saber se essas pessoas que estavam em Brasília em plena quarta-feira, dia útil, estão ganhando para participar desta movimentação.

Isso é uma afronta, pois pode funcionar com uma propaganda eleitoral antecipada para o Fernando Haddad, já que todos sabem que o Lula não poderá ser candidato.

Essa manobra toda promovida pelo PT é a gota d’água para o nosso país, pois esse fato diz ao mundo o quanto a nossa democracia é frágil. Nosso povo não deveria se sujeitar a esse tipo de coisa.

Eu acredito que tudo isso seja um vexame internacional e pode influenciar na decisão de investidores, que podem fugir do Brasil e prejudicar ainda mais a nossa economia.


Proibição do glifosato e o esforço dos ambientalistas contra o agronegócio

Foto: Pixabay

O governo brasileiro informou nesta segunda-feira, dia 13, que vai contestar a suspensão do registro de defensivos à base de glifosato e outras substâncias, principalmente por causa do impacto econômico que a falta deste produto na lavoura iria provocar.

Apesar de entender que a questão econômica é muito impactante, eu insistiria na questão da saúde, já que não há nenhuma pesquisa empírica que comprove que o glifosato provoque câncer e outras doenças que os ambientalistas estão colocando na conta da substância.

É evidente que o manuseio incorreto de qualquer produto, seja ele um defensivo agrícola ou um remédio comum, pode ser danoso à saúde. Mas acontece que as autoridades têm fiscalizado a utilização correta do glifosato, que está presente na rotulagem dos próprios produtos que contém o composto.

É por essas e outras, meus amigos, que eu digo que o Brasil vive um momento impossível de se conviver. Com muita judicialização das questões, como temos visto, por exemplo, na polêmica dos fretes.

No caso do glifosato, reafirmo que sou completamente contra a interrupção do uso por causa da opinião de “meia dúzia” de ambientalistas que ficam importunando o agronegócio sem, ao menos, ter como base alguma pesquisa que comprove os riscos do uso do produto.

Eu espero que o governo consiga reverter essa decisão, pois o glifosato está associado, no Brasil, ao plantio direto, que é uma renovação de importância vital para nossa agricultura.

Não estou aqui para defender nenhum produto químico específico, mas para questionar esse compromisso de alguns ambientalistas em atrapalhar o agro e a nação brasileira.

Leia outros posts deste blog:


Daoud: PT desafia democracia e confunde seus adversários

A defesa do ex-presidente lula, preso e condenado na  Operação Lava Jato, desistiu do processo no Supremo Tribunal Federal que discutiria o pedido de liberdade e possivelmente a condição do petista para disputar a Presidência da República.

O pedido foi direcionado ao relator do processo, Edson Fachin, que vai ficar responsável pela decisão de homologar a desistência de Lula. Essa estratégia da defesa do petista é para evitar que o Supremo discuta sobre a questão de inelegibilidade antes do Tribunal Superior Eleitoral, onde é feito o registro de candidatura.

Essa, meus amigos, é uma estratégia na qual o PT desafia a democracia e tenta encurralar os seus adversários. Afinal de contas, o ex-presidente Lula está enquadrado na lei da Ficha Limpa e, utilizando os dispositivos legais, ele colocou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como seu vice e deixou a Manuela D’ávila à espera para entrar nessa chapa.

Foto: divulgação

Com isso, Lula pretende levar ao Nordeste a figura do Haddad, para fazer uma transferência de votos. Isso faz com que os outros partidos mais à esquerda se enfraqueçam, enquanto o PSDB e o Meirelles atacam o Bolsonaro.

A ideia do PT é levar a candidatura o mais próximo possível das eleições, para quando o Haddad virar o candidato oficial, a chapa já esteja na segunda colocação. Mas o que não podemos é aceitar esse tipo de política, de enganação.

Não podemos aceitar um presidiário querendo comandar a política do Brasil. Isso é um absurdo!

Confira o comentário completo:


PT trata o Brasil como quintal e imprime material de campanha de Lula

A estratégia do PT diante deste impasse envolvendo o ex-presidente Lula é levar o nome de seu líder como candidato à Presidência até quando for possível, para que, lá na frente, ocorra uma transferência de votos para outro indicado pelo partido. Possivelmente, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.

Com essa estratégia, o PT já tem até o material de campanha do Lula pronto, mesmo ele estando preso e condenado a 12 anos de reclusão. Mas isso não nos surpreende, pois o PT acredita que o Brasil é o quintal dele e pode fazer tudo o que quer.

A prova de que o Partido dos Trabalhadores não pensa em outra alternativa, foi o não fechamento de acordo com Ciro Gomes (PDT), pré candidato que também defende a liberdade do petista.


Questão jurídica

A condenação do Lula o torna um ficha suja, mas como essa situação deve ser votada pelo Supremo em breve, o partido deve retirar esse processo que pede a suspensão da pena do ex-presidente. Com isso, o partido vai esperar a votação sobre os casos de ficha suja, apostando no afunilamento do calendário eleitoral para que essa questão não seja votada.

O líder petista ainda tem uma aceitação muito grande e é nessa aceitação popular que o partido deve apostar suas últimas e poucas fichas.

Abaixo, uma das peças de campanha confeccionadas pelo Partido dos Trabalhadores:

Foto: Partido dos Trabalhadores/Divulgação

Leia mais:


Riispoa: Apenas nova regulamentação não resolve

frigorifico2

Brasil precisa de medidas com autonomia, credibilidade e transparência

Em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, assinaram decreto que revisa o Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (Riispoa), que datava de 1952. O regulamento foi enxugado, de 952 para 542 artigos, e traz inovações como a instituição de penalidades leve, moderada, grave e gravíssima, como antecipou hoje o Valor.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, de agora em diante, os estabelecimentos industriais que cometerem penas graves ou gravíssimas poderão ser interditados e ter seu registro de funcionamento cassado.

O Riispoa é um conjunto de regras que guia a fiscalização agropecuária em unidades industriais que fabricam alimentos de produtos de origem animal (carnes, lácteos, ovos, pescado e mel).

Brasil precisa de autonomia, credibilidade e transparência

Se não tirarmos das mãos dos políticos as indicações dos superintendentes do Ministério da Agricultura nos Estados, essa nova norma só vai servir para dar mais dinheiro para os próprios políticos.

Não adianta criar regras quando se coloca jogadores que tendem a querer roubar no jogo!
O problema da Carne Fraca foi a corrupção! Portanto o mínimo que deveria ser feito, é adotar medidas como a de ter auditores fiscais como de alguns setores do Banco Central, da CVM e semelhantes. Sobre eles, não recai dúvida quanto a autonomia e credibilidade do trabalho realizado.


Especulação é o principal fator que está desvalorizando o dólar ante o real

Valores não são baseados em fundamentos, e sim no fluxo atrelado à taxa de juros.

Apesar da alta de juros dos EUA, em um cenário mais amplo, o dólar vem perdendo valor.

O motivo nós podemos entender utilizando a imagem abaixo da BM&F:

clearingdederivativos

Em 14/03/2017, foram negociados aproximadamente US$ 78 bilhões apenas neste dia, entre taxa de juros e de câmbio, totalizando quase 3 milhões de contratos.

A realidade é:

A valorização do Real perante o dólar é baseada em especulação, e não em fundamentos.

Não se dá por fluxo, e sim por posição no mercado futuro, principalmente considerando que nos últimos tempos só vem saindo dólar do Brasil.

É essa força que movimenta o mercado futuro com impacto no mercado à vista. A arbitragem entre juros e câmbio é que tem determinado a trajetória do dólar.


Lula pode ser eleito por força de políticos marginais

O possível candidato a presidente em 2018 pode ganhar força pelo apoio dos políticos que se encontram sem articulação política hoje, criando uma nova corrente de articulação política em Brasília.

Nunca foi uma boa opção ignorar o poder político de Lula, que sempre conseguiu ser além de uma grande força de influência com o eleitorado, também um grande articulador político.

Lula se candidatando em 2018, tentará cooptar os políticos que estão se sentindo isolados ou com poucas opções de poder fazer seus planos acontecerem. Daí Lula pode ressurgir como um novo catalisador político para essas pessoas, formando uma nova corrente de poder em Brasília.

Lula Presidente 2018

Só uma prisão de Lula deve impedir que ele se candidate. E independente disso, teremos uma eleição em 2018 com cara de 1989. Fragmentada, com muitos votos diluídos. E Lula pode ser um chamariz que fará a diferença com seus fiéis petistas e desavisados.

Você acredita em Lula Presidente em 2018?


Contra a importação de café: agricultura deveria ser questão de segurança nacional

maggi

O Ministro Blairo Maggi diz que pedido de importação de café já está com a Camex, e que neste momento, é importante flexibilizar procedimentos, utilizando cotas para aquisições.

Para mim nenhum argumento será maior do que a realidade do produtor rural: que ele será prejudicado!

Agropecuária deveria ser considerada questão de segurança nacional

Se formos importar tudo que for mais barato lá fora, estamos perdidos. Fecharemos todas as portas produtoras, pois não temos condições de competir com impostos, câmbio, infraestrutura.

No caso do café especificamente, o Vietnã por exemplo usa mão de obra de menores de idade e até escravagismo.

Hoje o Governo brasileiro já vem prejudicando o setor de trigo, leite, arroz, etanol, entre outros.

O produtor rural deve ser valorizado, apreciado em todo o seu trabalho e fazer com que tudo o que é produzido aqui circule de maneira justa.

Precisamos de um mercado interno, e não de uma competição desigual e sem escrúpulos!


Criminalidade: o cidadão de bem está exposto a barbárie

Caos no Espírito Santo deixa claro que o cidadão de bem está refém de um Estado incompetente, sem direito de defesa, e vivendo em uma sociedade que está se deteriorando.

Os episódios no Espírito Santo com a paralisação da Polícia Militar deixa claro que a criminalidade está fora de controle.

violencia-greve-espirito-santo-vitoria-20170206-0005

Não podemos mais ficar reféns de uma situação tão absurda quanto a que presenciamos nessa região, na qual o Estado não tem competência proteger seus cidadãos, e a Polícia não é bem remunerada, além de não ter as condições adequadas para realizar um trabalho satisfatório.

Se é assim na cidade, imagine no campo.

Insisto que o produtor rural tem o direito de ter acesso ao porte de arma para poder proteger sua propriedade e a integridade física de seus familiares em território rural.

Existem territórios de produção afastados da polícia, que não podem ficar a mercê desses marginais que cada vez mais usurpam a nossa paz e tranquilidade.

Invasão-de-Terras

As evidências estão em todos os lados. E como se não bastassem os crimes comuns, os produtores ainda têm que lidar com os que são cometidos por exemplo, pelo MST, como nesta matéria da EXAME que diz que os crimes cometidos pelo MST, ficam impunes!

Nossos valores estão se perdendo graças a distorção que o aumento da criminalidade traz. Em 6 dias, são mais de 100 assassinatos no Espírito Santo. O Rio de Janeiro vive uma praça de guerra a tempos, com estado de calamidade cada vez maior. Minas Gerais começa a desenhar uma possível paralisação dos militares também. No sul do país, Porto Alegre já se tornou uma cidade perigosa durante as noites.

Nossa vida é afetada diariamente pelos criminosos que comandam as fações nos presídios, que mandam e desmandam na nossa sociedade. O Estado falha! Não tem força para exercer o devido controle, e sofremos as consequências daqui de fora, com a violência gerada por eles lá de dentro. Não existe mais encarceramento com isolamento! De lá de dentro, eles afetam nossas vidas como nunca antes!

roubo-de-motos-e-carros

Nada vem sendo feito pelo poder público. Absolutamente nada. Estamos presos a leis frouxas, um policiamento sucateado e pouco apreciado e não temos direito de nos proteger por conta própria.

Precisamos pensar em que tipo de país queremos viver. Quem serão nossos governantes? O que eles querem e defendem? A Lava-Jato é importante, deve continuar, deve punir todos os culpados, mas precisamos também pensar em colocar no Legislativo, aqueles que irão criar as leis que podem mudar nosso futuro, pois se não for pra melhor, será para pior.

Qual o Brasil que queremos para nossos filhos, netos e para nós mesmos? Façamos o possível para realizá-lo!


Temer age como Dilma e cria Ministério para blindar aliados da Lava Jato

O argumento de enxugar a máquina pública e diminuir a quantidade de Ministérios dá lugar a politicagem para blindar interesses da gestão vigente.

michel-temer-600x400

O presidente Michel Temer vai criar um novo ministério – a Secretaria-Geral da Presidência – dentro do Palácio do Planalto para abrigar seu aliado Moreira Franco, que atualmente é secretário do Programa de Parcerias e Investimentos. Com isso, Moreira, que foi citado por delatores da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato, ganha status de ministro e direito ao foro privilegiado. Assim, ele só poderá ser investigado e julgado na esfera do Supremo Tribunal Federal.

Segundo a ÉPOCA, a reorganização ministerial de Temer se dará com a divisão da Secretaria de Governo, que atualmente está vaga e seria entregue ao deputado Antonio Imbassahy, do PSDB, também investigado na Lava Jato.

O presidente, ainda, vai nomear Imbassahy para o cargo de articulador político, mas uma nova pasta será criada na estrutura do Palácio do Planalto para abrigar Moreira. Ele continuará tocando o programa de privatizações do governo federal, mas passará a comandar, na nova função, questões administrativas do núcleo do governo.

O governo também deve criar uma nova pasta voltada aos direitos humanos e às políticas públicas para as minorias. A secretaria, com status de ministério, deve ser desmembrada do Ministério da Justiça, que no início do governo Temer passou a ser responsável por ações de “cidadania”.

Temer age como Dilma

Temer demonstra assim que está sendo incoerente com seu discurso de enxugamento da máquina pública. Depois de Dilma ter tentando blindar Lula, é absurdo ver que ele tente utilizar desse mecanismo.