Veja cinco problemas que os novos governantes precisam resolver com urgência

Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

O Brasil vive um período nebuloso e vem adiando algumas decisões importantes que influenciam diretamente na vida do povo.

Falta menos de um mês para as eleições e, seja qual for o resultado, o novo presidente precisará enfrentar alguns assuntos urgentes e importantíssimos para o povo brasileiro. Listo, abaixo, cinco pontos fundamentais para a recuperação do Brasil nos próximos quatro anos:

  1. Mudança para o sistema de voto distrital

Nós lemos e relemos as propostas de todos os partidos e chegamos à conclusão de que, para ter essas reformas, precisaríamos de mudanças constitucionais. A primeira conclusão é que precisamos de uma mudança no sistema eleitoral, onde o parlamentar eleito tenha um compromisso com os programas do partido.

Entendemos que o parlamentar não pode mais ficar mudando de partido ou votando contra os interesses do partido para conseguir coisas do governo. Por outro lado, poderíamos diminuir o número de representantes no Congresso nacional. Por isso, acho que devemos ter o voto distrital.

  1. Mais critérios para a criação de partidos políticos

Existe uma verba do governo na casa dos R$ 2,7 bilhões que é dividida para os partidos de acordo com o número de deputados. Então, o que nós percebemos é que, se você é capaz de agremiar dois ou três deputados, você tem um partido que não se sabe para que serve e tem o dinheiro do governo.

A mudança de critérios é essencial para diminuir o número de partidos que não possuem nenhum programa programa.

  1. Reforma da federação com atribuições claras entre União, Estados e municípios

Hoje, cerca de 70% da arrecadação é centralizada no governo federal, que distribui para os estados e municípios. A gente percebe que há uma prevalência ideológica nessa distribuição, que privilegia alguns governadores ou prefeitos.

Em outro ponto, existe município que faz atividade do Estado e Estado que faz atividade da União, principalmente nas áreas da saúde, educação e segurança. Se gasta uma energia muito grande com isso, que acaba, muitas vezes, quebrando o estado ou o município.

Precisamos definir o que cada uma das esferas faz e com qual dinheiro essas ações serão feitas.

  1. Reforma administrativa

Precisamos mudar o tipo de gestão do Estado. Hoje, o governo cria etapas de administração para poder empregar e quase que 80% do orçamento está engessado com a folha de funcionários.

Um exemplo é o Museu Nacional do Rio de Janeiro, onde 85% do dinheiro destinado ao museu era destinado ao pagamento de funcionário e vimos o que aconteceu.

  1. Reforma tributária

A reforma sempre foi um desejo do brasileiro, porque quem paga quer pagar menos e quem recebe, o governo, quer receber mais. Quando se faz a reforma, se cria a sinergia entre do papel dos entes da nação e pode otimizar as atividades com os recursos que você tem e possibilitar que o Estado passe a propiciar o crescimento do Brasil.

  1. Reforma da Previdência

    Foto: ANPR

     

A reforma da Previdência precisa ser feita com clareza. Não se pode jogar nas costas do pobre trabalhador a responsabilidade pelo quebra da previdência.

Nós sabemos que 800 mil funcionários públicos aposentados usam quase R$ 100 bilhões dos cofres públicos para complementar a aposentadoria.

A reforma da Previdência é muito importante, mas essa história de reforma de maneira que possa constituir um fundo para restituir a esses eventos é impossível, pois a necessidade é muito grande diante da possibilidade financeira para se constituir esse fundo.

Muito bem estudados esses pontos, podemos evoluir como nação. É preciso um consenso entre a sociedade e os partidos para que possamos reformar a sociedade.


Daoud: PT pode não ter candidato à Presidência da República

Foto: Partido dos Trabalhadores

Meus amigos, estou aqui mais uma vez para falar da candidatura do Partido dos Trabalhadores à Presidência da República. Confesso que já não aguento mais debater este assunto, mas o fato é que o senhor Luiz Inácio Lula da Silva não para de fazer escárnio com o nosso processo democrático e tenho para mim que há uma possibilidade de o PT sequer lançar um candidato ao cargo mais importante do país.

Explico. Nesta semana, o partido do ex-presidente recorreu ao Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) para, pasmem, tentar garantir a candidatura de Lula ao Planalto, mesmo ele estando preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O partido também vai recorrer ao TSE questionando a decisão de barrar a candidatura do petista preso. Com isso, a corrida eleitoral seguirá tumultuada e esse é o principal desejo de Lula.

É desse jeito, meus amigos, que Lula pretende levar ao exterior a mensagem de que o Brasil não vive uma democracia. Ele não está preocupado com o Brasil e muito menos com o partido.

Na cabeça dele, o importante é bagunçar as eleições e passar a mensagem para os demais países de que ele é um preso político, perseguido pela Justiça brasileira, o que é uma mentira.

Esse pedido de liminar pedido pelo PT pode, pelo sorteio, cair nas mãos do ministro Ricardo Lewandowski e essa é a esperança do PT. Se ele decidir que o Brasil precisa respeitar o pedido da ONU, faltando poucos dias para as eleições, vocês podem imaginar o pandemônio que este país vai virar.

Com isso, é possível que o PT não indique Fernando Haddad como candidato oficial e continue nesta narrativa de que o candidato é o Lula. Com esse imbróglio judicial, pode acontecer de o partido nem ter representante nas urnas e, ao final do pleito, ficar protestando pelo que eles chamam de perseguição política.

Falta pouco para as eleições, mas o PT não vai deixar que as eleições ocorram com calma. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos!

 

Leia também:
Daoud: PT desafia democracia e confunde seus adversários

Confira os planos de governo de todos os candidatos à Presidência


Confira os planos de governo de todos os candidatos à Presidência

Meus amigos, a corrida eleitoral está ganhando forma e, além dos debates eleitorais e propagandas políticas, é fundamental para o eleitor decidir em quem vai votar conhecer o plano de governo de cada um dos candidatos.

É neste documento que a coligação coloca suas intenções com o povo Brasileiro para os próximos quatro anos. Separei, abaixo, os planos de governo dos principais candidatos à Presidência do Brasil.

Até o dia 7 de outubro, quando todos iremos às urnas, você pode tirar as dúvidas sobre cada um deles!

Alvaro Dias

Cabo Daciolo

Ciro Gomes

Geraldo Alckmin

Guilherme Boulos

 

Henrique Meirelles

 

Jair Bolsonaro

 

João Amoêdo

 

João Goulart Filho

 

Lula

 

Marina Silva

Vera 


Lula usa cela como comitê eleitoral da própria campanha

Depois de cinco dias, a Marcha Nacional Lula Livre, promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), chegou à Brasília nesta quarta-feira, dia 15.  Essa foi, sem dúvida, uma grande manobra do Partido dos Trabalhadores (PT) para chamar a atenção para a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que continua a comandar essa campanha eleitoral do interior de sua cela em Curitiba.

Meus amigos, o que o PT e o Lula estão fazendo é uma afronta ao povo brasileiro. Não é por acaso que a Operação Lava Jato já está de olho nas articulações do petista do interior da Polícia Federal e a informação que tenho é de que os procuradores federais pedem que não sejam mais autorizadas visitas da presidente do PT e senadora Gleisi Hoffman, já que ela foi incluída na equipe de advogados do ex-presidente, o que lhe permite visitas a qualquer momento.

É por esse motivo que eu fico revoltado. Afinal, o Brasil é o único país que tem um presidiário à Presidência da República. Ele e o partido desafiam a população brasileira e a justiça, taxando a todos como idiotas.


Manifestação do MST

Quero saber se essas pessoas que estavam em Brasília em plena quarta-feira, dia útil, estão ganhando para participar desta movimentação.

Isso é uma afronta, pois pode funcionar com uma propaganda eleitoral antecipada para o Fernando Haddad, já que todos sabem que o Lula não poderá ser candidato.

Essa manobra toda promovida pelo PT é a gota d’água para o nosso país, pois esse fato diz ao mundo o quanto a nossa democracia é frágil. Nosso povo não deveria se sujeitar a esse tipo de coisa.

Eu acredito que tudo isso seja um vexame internacional e pode influenciar na decisão de investidores, que podem fugir do Brasil e prejudicar ainda mais a nossa economia.


Proibição do glifosato e o esforço dos ambientalistas contra o agronegócio

Foto: Pixabay

O governo brasileiro informou nesta segunda-feira, dia 13, que vai contestar a suspensão do registro de defensivos à base de glifosato e outras substâncias, principalmente por causa do impacto econômico que a falta deste produto na lavoura iria provocar.

Apesar de entender que a questão econômica é muito impactante, eu insistiria na questão da saúde, já que não há nenhuma pesquisa empírica que comprove que o glifosato provoque câncer e outras doenças que os ambientalistas estão colocando na conta da substância.

É evidente que o manuseio incorreto de qualquer produto, seja ele um defensivo agrícola ou um remédio comum, pode ser danoso à saúde. Mas acontece que as autoridades têm fiscalizado a utilização correta do glifosato, que está presente na rotulagem dos próprios produtos que contém o composto.

É por essas e outras, meus amigos, que eu digo que o Brasil vive um momento impossível de se conviver. Com muita judicialização das questões, como temos visto, por exemplo, na polêmica dos fretes.

No caso do glifosato, reafirmo que sou completamente contra a interrupção do uso por causa da opinião de “meia dúzia” de ambientalistas que ficam importunando o agronegócio sem, ao menos, ter como base alguma pesquisa que comprove os riscos do uso do produto.

Eu espero que o governo consiga reverter essa decisão, pois o glifosato está associado, no Brasil, ao plantio direto, que é uma renovação de importância vital para nossa agricultura.

Não estou aqui para defender nenhum produto químico específico, mas para questionar esse compromisso de alguns ambientalistas em atrapalhar o agro e a nação brasileira.

Leia outros posts deste blog:


Daoud: PT desafia democracia e confunde seus adversários

A defesa do ex-presidente lula, preso e condenado na  Operação Lava Jato, desistiu do processo no Supremo Tribunal Federal que discutiria o pedido de liberdade e possivelmente a condição do petista para disputar a Presidência da República.

O pedido foi direcionado ao relator do processo, Edson Fachin, que vai ficar responsável pela decisão de homologar a desistência de Lula. Essa estratégia da defesa do petista é para evitar que o Supremo discuta sobre a questão de inelegibilidade antes do Tribunal Superior Eleitoral, onde é feito o registro de candidatura.

Essa, meus amigos, é uma estratégia na qual o PT desafia a democracia e tenta encurralar os seus adversários. Afinal de contas, o ex-presidente Lula está enquadrado na lei da Ficha Limpa e, utilizando os dispositivos legais, ele colocou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como seu vice e deixou a Manuela D’ávila à espera para entrar nessa chapa.

Foto: divulgação

Com isso, Lula pretende levar ao Nordeste a figura do Haddad, para fazer uma transferência de votos. Isso faz com que os outros partidos mais à esquerda se enfraqueçam, enquanto o PSDB e o Meirelles atacam o Bolsonaro.

A ideia do PT é levar a candidatura o mais próximo possível das eleições, para quando o Haddad virar o candidato oficial, a chapa já esteja na segunda colocação. Mas o que não podemos é aceitar esse tipo de política, de enganação.

Não podemos aceitar um presidiário querendo comandar a política do Brasil. Isso é um absurdo!

Confira o comentário completo:


PT trata o Brasil como quintal e imprime material de campanha de Lula

A estratégia do PT diante deste impasse envolvendo o ex-presidente Lula é levar o nome de seu líder como candidato à Presidência até quando for possível, para que, lá na frente, ocorra uma transferência de votos para outro indicado pelo partido. Possivelmente, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.

Com essa estratégia, o PT já tem até o material de campanha do Lula pronto, mesmo ele estando preso e condenado a 12 anos de reclusão. Mas isso não nos surpreende, pois o PT acredita que o Brasil é o quintal dele e pode fazer tudo o que quer.

A prova de que o Partido dos Trabalhadores não pensa em outra alternativa, foi o não fechamento de acordo com Ciro Gomes (PDT), pré candidato que também defende a liberdade do petista.


Questão jurídica

A condenação do Lula o torna um ficha suja, mas como essa situação deve ser votada pelo Supremo em breve, o partido deve retirar esse processo que pede a suspensão da pena do ex-presidente. Com isso, o partido vai esperar a votação sobre os casos de ficha suja, apostando no afunilamento do calendário eleitoral para que essa questão não seja votada.

O líder petista ainda tem uma aceitação muito grande e é nessa aceitação popular que o partido deve apostar suas últimas e poucas fichas.

Abaixo, uma das peças de campanha confeccionadas pelo Partido dos Trabalhadores:

Foto: Partido dos Trabalhadores/Divulgação

Leia mais:


Riispoa: Apenas nova regulamentação não resolve

frigorifico2

Brasil precisa de medidas com autonomia, credibilidade e transparência

Em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, assinaram decreto que revisa o Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (Riispoa), que datava de 1952. O regulamento foi enxugado, de 952 para 542 artigos, e traz inovações como a instituição de penalidades leve, moderada, grave e gravíssima, como antecipou hoje o Valor.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, de agora em diante, os estabelecimentos industriais que cometerem penas graves ou gravíssimas poderão ser interditados e ter seu registro de funcionamento cassado.

O Riispoa é um conjunto de regras que guia a fiscalização agropecuária em unidades industriais que fabricam alimentos de produtos de origem animal (carnes, lácteos, ovos, pescado e mel).

Brasil precisa de autonomia, credibilidade e transparência

Se não tirarmos das mãos dos políticos as indicações dos superintendentes do Ministério da Agricultura nos Estados, essa nova norma só vai servir para dar mais dinheiro para os próprios políticos.

Não adianta criar regras quando se coloca jogadores que tendem a querer roubar no jogo!
O problema da Carne Fraca foi a corrupção! Portanto o mínimo que deveria ser feito, é adotar medidas como a de ter auditores fiscais como de alguns setores do Banco Central, da CVM e semelhantes. Sobre eles, não recai dúvida quanto a autonomia e credibilidade do trabalho realizado.


Especulação é o principal fator que está desvalorizando o dólar ante o real

Valores não são baseados em fundamentos, e sim no fluxo atrelado à taxa de juros.

Apesar da alta de juros dos EUA, em um cenário mais amplo, o dólar vem perdendo valor.

O motivo nós podemos entender utilizando a imagem abaixo da BM&F:

clearingdederivativos

Em 14/03/2017, foram negociados aproximadamente US$ 78 bilhões apenas neste dia, entre taxa de juros e de câmbio, totalizando quase 3 milhões de contratos.

A realidade é:

A valorização do Real perante o dólar é baseada em especulação, e não em fundamentos.

Não se dá por fluxo, e sim por posição no mercado futuro, principalmente considerando que nos últimos tempos só vem saindo dólar do Brasil.

É essa força que movimenta o mercado futuro com impacto no mercado à vista. A arbitragem entre juros e câmbio é que tem determinado a trajetória do dólar.


Lula pode ser eleito por força de políticos marginais

O possível candidato a presidente em 2018 pode ganhar força pelo apoio dos políticos que se encontram sem articulação política hoje, criando uma nova corrente de articulação política em Brasília.

Nunca foi uma boa opção ignorar o poder político de Lula, que sempre conseguiu ser além de uma grande força de influência com o eleitorado, também um grande articulador político.

Lula se candidatando em 2018, tentará cooptar os políticos que estão se sentindo isolados ou com poucas opções de poder fazer seus planos acontecerem. Daí Lula pode ressurgir como um novo catalisador político para essas pessoas, formando uma nova corrente de poder em Brasília.

Lula Presidente 2018

Só uma prisão de Lula deve impedir que ele se candidate. E independente disso, teremos uma eleição em 2018 com cara de 1989. Fragmentada, com muitos votos diluídos. E Lula pode ser um chamariz que fará a diferença com seus fiéis petistas e desavisados.

Você acredita em Lula Presidente em 2018?