Da poesia à pintura: o cavalo crioulo na obra de Adriano Alves

Depois de 4 anos morando no Mato Grosso do Sul, o  músico, poeta e artista plástico Adriano Alves está de volta ao Rio Grande do Sul.

“Por enquanto em Dom Pedrito, mas já recebi algumas propostas de trabalho em outras cidades”, afirma. Enquanto analisa as possibilidades, Adriano está se dedicando a uma nova atividade: a pintura em porcelana.


O trabalho é personalizado. Cada peça é pintada individualmente conforme o pedido do cliente. “Sempre desenhei e pintei quadros, telas, além de trabalhar com pirografia em couro, forrando garrafas térmicas. Agora tive esta ideia e investi na técnica, que requer uma tinta própria. Faço uma a uma cada peça e depois envernizo para fixar a pintura”, destaca.


Os temas são diversos, mas todos ligados à cultura campeira e ao cavalo crioulo. Pode ser uma marca de cabanha ou mesmo a representação de um animal: “O cavalo crioulo representa mais que uma inspiração para minha arte. Representa um sonho de infância que sempre reproduzi em preto e branco e assim formei minha tropilha, pra me levar tempo a dentro pelos caminhos da vida”

“Pinto o jogo completo de louças: xícaras, canecas, pratos, travessas para churrasco. Como é a pedido do cliente, ele terá uma coleção personalizada. Também pode presentear o material”, menciona.


Ayrumã (Estrela D’alva em tupi) é o nome que Adriano escolheu como marca do trabalho, tão bem representada também em seus versos:

“Ayrumã Estrela Dalva
Lume de noite e de tempo
Igual as horas dos ventos
Soprados pelo caminho
Amor palavra e carinho
Que com afeto ah de tê-la
Antiga alma sinuêla
A caminhar pelas horas
Guarda noites e auroras
Em seu destino de Estrela”


O dom da arte aflorou quando ainda era criança. Desde então nunca mais parou de produzir.

Na adolescência passou a se dedicar à literatura e à música gaúcha e sul-americana, participando de festivais nativistas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.


Há dois anos, Adriano Alves lançou, com grande sucesso, o livro “Crioulo Fragmentos de Campo”, com textos seus e fotografias de Everton Marita.


Para conhecer mais o trabalho do artista, visite a sua página no Instagram: adrianoalves2065.

Por Sandro Fávero | Canal Rural