-

Um inesquecível encontro de gigantes

Ricardinho Alves, um dos maiores fenômenos do esporte paralímpico internacional, se encontra com seu ídolo, o ginete multicampeão Milton Castro

16 de abril de 2019 às 16h11

Conheci Ricardinho Alves, o melhor jogador da história do futebol de cinco (disputado por deficientes visuais), em 2015. Na oportunidade, também como entrevistador, descobri e ajudei a relatar a trajetória de um dos maiores fenômenos do esporte paralímpico internacional.

Quatro anos depois nos reencontramos. Ele com mais um título olímpico e um mundial na carreira. Eu, de volta ao Canal Rural, agora como narrador do Freio de Ouro. Pois, para minha surpresa, em nossa conversa o craque disse-me que não só acompanha a maior prova da raça, como também é apaixonado por cavalo crioulo e fã do ginete multicampeão Milton Castro.

Em 2015, quando conheci Ricardinho

Foi além: “Bah, Sandro, meu sonho é conhecer o Milton. O acompanho nas competições, nas entrevistas e o admiro pelo talento e pela simplicidade”, afirmou.

Certamente meus olhos brilharam na hora. Tomado de entusiasmo, entrei em contato com o maior campeão do Freio. Com uma égua credenciada para o Bocal de Ouro, era a oportunidade ideal para promover o encontro.

Tudo combinado, dois dias depois, recebo esta mensagem: “Vou ter que fazer bonito. Que compromisso!”, escreveu. Claro que só poderia vir do Milton. A humildade em pessoa.

Marcamos a gravação para a sexta-feira do Bocal. Chegamos cedo. Eu, o repórter cinematográfico Julio Souza, Ricardinho e seu irmão Jonas, que por sinal tem uma égua crioula na zona sul de Porto Alegre.

O atleta fez um único pedido: “Quero acompanhar a prova do Milton”.

Lá fomos nós para a arquibancada. Não demorou muito para o ginete e a égua La Castellana Kaila pisarem na pista.

Ansiedade antes da prova de Milton e La Castellana Kaila

Nitidamente nervoso Ricardinho só se acalmou quando após a prova soube que o conjunto havia assumido a liderança depois de grande desempenho. Durante o percurso, perguntou o tempo todo sobre o que estava acontecendo. Com a audição sensível, movimentava a cabeça conforme os exercícios na pista. E vibrou a cada manobra bem realizada.

Uma parte do sonho estava concretizada. Agora só faltava ser apresentado ao “Alemão Schumacher”.
Nos deslocamos então às cocheiras do Parque Assis Brasil para encontrar o homem e sua equipe.

Novos amigos e uma mesma paixão

Momentos de respeito mútuo, de coincidências e de muita emoção estariam por vir.

Um encontro inesquecível

Mas, isso deixo para você conferir aqui na matéria veiculada no programa Cavalo Crioulo Sem Fronteiras. Adianto: foi um dos trabalhos mais gratificantes dos meus quase 30 anos de carreira.

Por Sandro Fávero

-

Um inesquecível encontro de gigantes

Ricardinho Alves, um dos maiores fenômenos do esporte paralímpico internacional, se encontra com seu ídolo, o ginete multicampeão Milton Castro

16 de abril de 2019 às 16h11

Conheci Ricardinho Alves, o melhor jogador da história do futebol de cinco (disputado por deficientes visuais), em 2015. Na oportunidade, também como entrevistador, descobri e ajudei a relatar a trajetória de um dos maiores fenômenos do esporte paralímpico internacional.

Quatro anos depois nos reencontramos. Ele com mais um título olímpico e um mundial na carreira. Eu, de volta ao Canal Rural, agora como narrador do Freio de Ouro. Pois, para minha surpresa, em nossa conversa o craque disse-me que não só acompanha a maior prova da raça, como também é apaixonado por cavalo crioulo e fã do ginete multicampeão Milton Castro.

Em 2015, quando conheci Ricardinho

Foi além: “Bah, Sandro, meu sonho é conhecer o Milton. O acompanho nas competições, nas entrevistas e o admiro pelo talento e pela simplicidade”, afirmou.

Certamente meus olhos brilharam na hora. Tomado de entusiasmo, entrei em contato com o maior campeão do Freio. Com uma égua credenciada para o Bocal de Ouro, era a oportunidade ideal para promover o encontro.

Tudo combinado, dois dias depois, recebo esta mensagem: “Vou ter que fazer bonito. Que compromisso!”, escreveu. Claro que só poderia vir do Milton. A humildade em pessoa.

Marcamos a gravação para a sexta-feira do Bocal. Chegamos cedo. Eu, o repórter cinematográfico Julio Souza, Ricardinho e seu irmão Jonas, que por sinal tem uma égua crioula na zona sul de Porto Alegre.

O atleta fez um único pedido: “Quero acompanhar a prova do Milton”.

Lá fomos nós para a arquibancada. Não demorou muito para o ginete e a égua La Castellana Kaila pisarem na pista.

Ansiedade antes da prova de Milton e La Castellana Kaila

Nitidamente nervoso Ricardinho só se acalmou quando após a prova soube que o conjunto havia assumido a liderança depois de grande desempenho. Durante o percurso, perguntou o tempo todo sobre o que estava acontecendo. Com a audição sensível, movimentava a cabeça conforme os exercícios na pista. E vibrou a cada manobra bem realizada.

Uma parte do sonho estava concretizada. Agora só faltava ser apresentado ao “Alemão Schumacher”.
Nos deslocamos então às cocheiras do Parque Assis Brasil para encontrar o homem e sua equipe.

Novos amigos e uma mesma paixão

Momentos de respeito mútuo, de coincidências e de muita emoção estariam por vir.

Um encontro inesquecível

Mas, isso deixo para você conferir aqui na matéria veiculada no programa Cavalo Crioulo Sem Fronteiras. Adianto: foi um dos trabalhos mais gratificantes dos meus quase 30 anos de carreira.

Por Sandro Fávero