Oferta e demanda por farelo de soja em 2019

Em 2018 o preço do farelo de soja subiu 32,2% em São Paulo no primeiro semestre, atingindo R$1.455,90 por tonelada em junho. Foi o maior preço no ano.

A alta acompanhou a valorização da soja grão, que por sua vez subiu em função do câmbio valorizado e demanda aquecida, devido a briga comercial entre os Estados Unidos e China, e a quebra de produção na Argentina com a seca. Veja a figura 1.

Figura1.
Preços médios mensais do farelo de soja em São Paulo em 2018, em R$ por tonelada, sem o frete.

Fonte: Scot Consultoria

Mesmo com a maior oferta em 2018, com a produção crescendo 3,9%, frente a 2017, em função do aumento de 4,2% nos esmagamentos de soja grão, a demanda para exportação não ficou para trás e cresceu 10,5%, o equivalente a 1,51 milhão de toneladas a mais embarcadas e compensou a queda de 1,1% no consumo interno (menor demanda pelos setores de aves e suínos).

Os números são da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

Para 2019

Em 2019, a oferta de farelo de soja deve diminuir no Brasil.

A expectativa é de 32,60 milhões de toneladas produzidas, ou seja, 0,6% a menos que em 2018, segundo a Abiove.

Do lado da demanda a situação é oposta. A previsão é de aumento de 0,6% no consumo interno e de 1,9% nas exportações.

Apesar da menor produção e maior demanda, os estoques de passagem deverão ser maiores, em função dos estoques iniciais maiores. A previsão é de o país terminar o ano com 3,14 milhões de toneladas estocadas, o maior volume nos últimos anos. Tabela 1.

Tabela 1.
Oferta e demanda do farelo de soja brasileiro, em mil toneladas.

*estimativas.
Fonte: Abiove / Scot Consultoria.

Relação de Troca

O poder de compra do pecuarista em relação ao farelo diminuiu em 2018.

Para adquirir uma tonelada de farelo de soja no segundo semestre de 2017 eram necessárias, em média, 7,88 arrobas de boi gordo, considerando a praça de São Paulo.

Neste mesmo período de 2018, essa relação subiu para 9,41 arrobas por tonelada de farelo, com queda de 19,4% no poder de compra do pecuarista. Veja a figura 2.

Figura 2.
Relação de troca mensal farelo de soja (tonelada em São Paulo) versus boi gordo (arroba do boi gordo em Araçatuba-SP).

Fonte: Scot Consultoria.

Considerações finais 

A relação de troca com o farelo de soja foi prejudicada em 2018 em relação a 2017. 

Para 2019 a expectativa é de preços menos pressionados, puxado principalmente pela baixa nos preços da soja (maior oferta mundial e estoques crescentes), gerando uma boa oportunidade para pecuaristas que precisam adquirir o insumo.