Veja os primeiros resultados do hub da Sociedade Rural do Paraná

O segundo ciclo da Aceleradora Go SRP Agritech, da Sociedade Rural do Paraná, começou em maio deste ano com quatro startups selecionadas e duas pré-aceleradas. O projeto conta com o apoio do Senai e do Sebrae do Paraná.

Ao ser questionado sobre o investimento em tecnologia para o nosso setor, George Hiraiwa, Secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento do Paraná, afirmou que foi observado que outras ciências como, por exemplo, tecnologia da informação, inteligência artificial e biotecnologia, estavam olhando de forma diferente para o agronegócio.

O Hub, que é um ambiente composto por várias startups, conta com 15 investidores dispostos a acelerarem as Agtechs que estão se desenvolvendo ali, o conhecido capital anjo (indivíduo que investe seus próprios recursos em startups em estágios iniciais).

Foto: SPR/divulgação

Uma das Startups do HUB em Londrina é a Tatilfish, que é uma plataforma automatizada para monitoramento e controle de equipamentos em viveiros de piscicultura.

A plataforma é composta por uma estação flutuante e automatizada e um sistema de controle de equipamentos totalmente conectados, permitindo ao produtor acesso aos dados em tempo real, possibilitando a tomada de decisões estratégicas no manejo. O controle de equipamentos essenciais, como aeradores e alimentadores, garante economia de recursos, aumentando a lucratividade. Aqui o link da Startup.

Ainda no Paraná, visitamos o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), onde está sendo realizada uma pesquisa que vem ajudando a controlar a principal doença que ataca a citricultura mundial. Trata-se do greening, responsável, dentre outros, por dizimar pomares na Flórida, um dos grandes produtores globais da fruta.

O Paraná se destacou por mostrar uma sociedade que está fazendo a diferença e investindo na inovação no agronegócio, mais uma prova de que não há pesquisa sem investimentos! E outra: sem investimentos, não há novas soluções para o nosso setor!

Quer saber mais sobre esses assuntos e acompanhar as entrevistas que fizemos por lá? confira no programa completo do AgEvolution!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *