-

Elas no comando: curso de operador de tratores tem turma formada exclusivamente por mulheres

Com competência, inteligência e muita força as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço no campo e muitas fazendas têm voltado os olhos para mão-de-obra feminina, por serem mais delicadas e zelosas com o maquinário

19 de outubro de 2018 às 19h25

‘’Desde que mudei para Campo Verde e comecei ver as plantadeiras e as colheitadeiras operando no campo, eu pensei: por que só homem? Desde então, a vontade de também fazer parte daquilo foi crescendo e virou um sonho dentro de mim”. Com um sorriso estampado no rosto, Irene Guimarães de 40 anos, conta orgulhosa como vê o sonho de se tornar uma operadora de tratores virar realidade.

A superação e o rompimento de barreiras retratam a força de vontade de Irene e de outras 14 mulheres que integram a primeira turma exclusivamente feminina do curso de operador de tratores agrícolas, do Senar-MT. E elas não foram as únicas interessadas. Ao todo 54 mulheres se inscreveram para o treinamento, mas como as vagas eram limitadas, foi preciso selecionar aquelas com maior aptidão para o trabalho.

O curso, aliás, foi uma demanda que partiu do campo, mais especificamente da Fazenda Marabá, localizada em Campo Verde, sudeste de Mato Grosso. Os responsáveis pela propriedade entraram em contato com o Sindicato Rural do município que, por sua vez, acionou a equipe do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural-Mato Grosso (Senar-MT) e, juntos, fizeram história.

Iniciado na segunda-feira, DIA 15 o treinamento tem aulas teóricas e práticas. As alunas aprenderam detalhes sobre o universo dos tratores, desde mecânica às técnicas de condução e operação destes equipamentos, que estão cada vez mais modernos. Nesta sexta-feira, Dia 19, a turma conclui o curso e todas estarão aptas a entrar no mercado de trabalho com o conhecimento necessário para fazer a diferença no campo.

Com competência, inteligência e muita força as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço no campo. Muitas fazendas têm voltado os olhos para mão-de-obra feminina, por serem mais delicadas e zelosas com o maquinário. Na própria Fazenda Marabá o objetivo é ampliar a participação feminina no quadro de colaboradores. Atualmente 13% dos colaboradores da propriedade são mulheres. A meta é ampliar para 50%. Aliás, a expectativa é de que algumas alunas do curso já concluam o treinamento “com a carteira de trabalho assinada” pela fazenda.

Na avaliação do instrutor Hélio Lima Queiroz – que é credenciado ao Senar-MT e ministrou o curso na fazenda – a presença feminina num ambiente que tradicionalmente era ocupado por homens, tende a aumentar mais e mais. Como a operação das máquinas modernas dispensa o uso de “força bruta”, a delicadeza e atenção das mulheres fala mais alto e se tornam sinônimo de maior eficiência neste ramo. “As empresas não irão se arrepender, terão benefícios e ganhos”, explica Hélio.

 

-

Elas no comando: curso de operador de tratores tem turma formada exclusivamente por mulheres

Com competência, inteligência e muita força as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço no campo e muitas fazendas têm voltado os olhos para mão-de-obra feminina, por serem mais delicadas e zelosas com o maquinário

19 de outubro de 2018 às 19h25

‘’Desde que mudei para Campo Verde e comecei ver as plantadeiras e as colheitadeiras operando no campo, eu pensei: por que só homem? Desde então, a vontade de também fazer parte daquilo foi crescendo e virou um sonho dentro de mim”. Com um sorriso estampado no rosto, Irene Guimarães de 40 anos, conta orgulhosa como vê o sonho de se tornar uma operadora de tratores virar realidade.

A superação e o rompimento de barreiras retratam a força de vontade de Irene e de outras 14 mulheres que integram a primeira turma exclusivamente feminina do curso de operador de tratores agrícolas, do Senar-MT. E elas não foram as únicas interessadas. Ao todo 54 mulheres se inscreveram para o treinamento, mas como as vagas eram limitadas, foi preciso selecionar aquelas com maior aptidão para o trabalho.

O curso, aliás, foi uma demanda que partiu do campo, mais especificamente da Fazenda Marabá, localizada em Campo Verde, sudeste de Mato Grosso. Os responsáveis pela propriedade entraram em contato com o Sindicato Rural do município que, por sua vez, acionou a equipe do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural-Mato Grosso (Senar-MT) e, juntos, fizeram história.

Iniciado na segunda-feira, DIA 15 o treinamento tem aulas teóricas e práticas. As alunas aprenderam detalhes sobre o universo dos tratores, desde mecânica às técnicas de condução e operação destes equipamentos, que estão cada vez mais modernos. Nesta sexta-feira, Dia 19, a turma conclui o curso e todas estarão aptas a entrar no mercado de trabalho com o conhecimento necessário para fazer a diferença no campo.

Com competência, inteligência e muita força as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço no campo. Muitas fazendas têm voltado os olhos para mão-de-obra feminina, por serem mais delicadas e zelosas com o maquinário. Na própria Fazenda Marabá o objetivo é ampliar a participação feminina no quadro de colaboradores. Atualmente 13% dos colaboradores da propriedade são mulheres. A meta é ampliar para 50%. Aliás, a expectativa é de que algumas alunas do curso já concluam o treinamento “com a carteira de trabalho assinada” pela fazenda.

Na avaliação do instrutor Hélio Lima Queiroz – que é credenciado ao Senar-MT e ministrou o curso na fazenda – a presença feminina num ambiente que tradicionalmente era ocupado por homens, tende a aumentar mais e mais. Como a operação das máquinas modernas dispensa o uso de “força bruta”, a delicadeza e atenção das mulheres fala mais alto e se tornam sinônimo de maior eficiência neste ramo. “As empresas não irão se arrepender, terão benefícios e ganhos”, explica Hélio.