-

MT: lideranças do agro reforçam negativa à prorrogação do Fethab 2

Com prazo de validade programado para encerrar no dia 31 de dezembro deste ano, o Fethab 2 (também chamado de Fethab Regional ou Fethab Commodities) tem muita chance de ganhar sobrevida

05 de novembro de 2018 às 12h16

Com prazo de validade programado para encerrar no dia 31 de dezembro deste ano, o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) 2 (também chamado de Fethab Regional ou Fethab Commodities) tem muita chance de ganhar sobrevida. Diante das dificuldades financeiras no caixa do Estado, é difícil acreditar que o governo vá abrir mão de um fundo que gera cerca de R$ 450 milhões por ano para o seu cofre.

O governador eleito, Mauro Mendes, tem reforçado a importância deste recurso para o equilíbrio do estado. Em reunião com o atual governador, Pedro Taques, o futuro gestor chegou a pedir “expressamente” a reedição do Fethab 2. Nas próximas semanas o assunto deve permanecer nos holofotes.

Insatisfeito com o destino dado aos recursos arrecadados pelo fundo, o setor produtivo tem se posicionado contra a sua eventual prorrogação. Criada em 2016, esta cobrança adicional incide sobre a venda de soja, algodão e boi e – em tese – deveria ter aplicação exclusiva em obras de infraestrutura (inclusive, nas regiões onde o recurso é captado). Porém, o dinheiro também estaria sendo utilizado para suprir outras despesas do Estado (como a saúde, por exemplo), alimentando as críticas.

Nesta semana, as diretorias da Associação dos Produtores de Soja do estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) se reuniram com o futuro governador. Em pauta o futuro do Fethab 2 e os pedidos para que a o estado adote uma gestão mais eficiente, enxugando as despesas ao invés de apenas ampliar a arrecadação.

Confira no vídeo mais detalhes deste encontro:

-

MT: lideranças do agro reforçam negativa à prorrogação do Fethab 2

Com prazo de validade programado para encerrar no dia 31 de dezembro deste ano, o Fethab 2 (também chamado de Fethab Regional ou Fethab Commodities) tem muita chance de ganhar sobrevida

05 de novembro de 2018 às 12h16

Com prazo de validade programado para encerrar no dia 31 de dezembro deste ano, o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) 2 (também chamado de Fethab Regional ou Fethab Commodities) tem muita chance de ganhar sobrevida. Diante das dificuldades financeiras no caixa do Estado, é difícil acreditar que o governo vá abrir mão de um fundo que gera cerca de R$ 450 milhões por ano para o seu cofre.

O governador eleito, Mauro Mendes, tem reforçado a importância deste recurso para o equilíbrio do estado. Em reunião com o atual governador, Pedro Taques, o futuro gestor chegou a pedir “expressamente” a reedição do Fethab 2. Nas próximas semanas o assunto deve permanecer nos holofotes.

Insatisfeito com o destino dado aos recursos arrecadados pelo fundo, o setor produtivo tem se posicionado contra a sua eventual prorrogação. Criada em 2016, esta cobrança adicional incide sobre a venda de soja, algodão e boi e – em tese – deveria ter aplicação exclusiva em obras de infraestrutura (inclusive, nas regiões onde o recurso é captado). Porém, o dinheiro também estaria sendo utilizado para suprir outras despesas do Estado (como a saúde, por exemplo), alimentando as críticas.

Nesta semana, as diretorias da Associação dos Produtores de Soja do estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) se reuniram com o futuro governador. Em pauta o futuro do Fethab 2 e os pedidos para que a o estado adote uma gestão mais eficiente, enxugando as despesas ao invés de apenas ampliar a arrecadação.

Confira no vídeo mais detalhes deste encontro: