Conheça a importância do uso correto dos defensivos na olericultura

Estima-se que até 40% da produção global de alimentos é perdida no campo, devido ao ataque de pragas e doenças todos os anos. Para tentar combater essas perdas, o produtor muitas vezes faz uso de defensivos nas lavouras. Mas é importante que sua utilização seja de forma consciente e controlada. Assim será possível contribuir para uma produção de alimentos cada vez mais segura.

Mas você sabe identificar quando é preciso usar os defensivos na Olericultura (produção de hortaliças) ? Segundo a engenheira agrônoma e instrutora credenciada do Senar-MT, Jaqueline Aguilla Pizzato, é necessário que o produtor faça um monitoramento da lavoura para apontar os possíveis problemas que estão causando as pragas. Após isso, identificar o tipo de defensivo que deve ser utilizado, de acordo com o tipo de praga ou doença.

Conhecer os defensivos, ler a bula, analisar a dosagem necessária, são ações simples que podem garantir a eficácia ou um verdadeiro desastre na hora de aplicar os defensivos. É na bula, que o produtor encontrará todas as informações e orientações necessárias para o sucesso da aplicação. Uma superdose ou uma subdose, ao invés de acabar com a praga, poderá fazer com o que o inseto se desenvolva ainda mais, explica Jaqueline.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), disponibiliza em seu site, na plataforma AGROFIT  informações sobre os defensivos agrícolas registrados pelo órgão. Lá o produtor pode realizar pesquisas importantes sobre o controle de pragas, e tipos de produtos agroquímicos autorizados no Brasil.

A engenheira agrônoma explica que a segurança na hora de aplicar os defensivos é tão importante quanto conhecer o produto. Por isso os EPIs (Equipamento de proteção individual) são fundamentais para evitar os acidentes e prevenir as doenças ocupacionais. Por lei, a utilização desses equipamentos é obrigatória.

Fazer uso dos itens completos, pode evitar colocar em risco a saúde do aplicador. Touca árabe, jaleco, luva, calça, viseira facial, respirador avental e bota, formam os itens necessários que evitam o contato do produto químico com a pele de quem está realizando a aplicação. Jaqueline alerta que o uso parcial dos equipamentos não garantem a proteção do aplicador.

O assunto foi tema do Bom Dia Senar-MT (05), desta quarta-feira (05). Confira as dicas da engenheira, para o uso consciente dos defensivos agrícolas.

A engenheira agrônoma, Jaqueline Aguilla Pizzato voltou ao estúdio do Canal Rural Mato Grosso para falar dos principais cuidados para o uso correto de defensivos agrícolas na produção de hortaliças, no quadro Senar-MT Responde desta sexta-feira (07).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *