Confira o resumo semanal do desempenho do milho em Chicago

Análise Semanal – Milho CBOT

Os futuros de milho na CBOT terminaram 2 centavos de queda na última semana e o Mercado continua estacionado num raio (alta e baixa) de 12 centavos. O relatório de novembro do USDA foi visto como otimista, decorrente da queda dos estoques de milho nos Estados Unidos, resultado da baixa produtividade – novos cortes deverão ser observados no relatório de janeiro. As estimativas do USDA para os estoques de milho na China mais do que dobraram desde os números de outubro, no entanto este fator não interferiu nos preços mundiais, uma vez que a especulação já tinha estes números consolidados, sendo que o USDA possuía uma visão equivocada dos estoques chineses. A ARC lembra que a China não pode exportar milho sem entrar em conflito com a OMC (Organização Mundial de Comercio), e os preços chineses são cerca de US$3/bushel acima dos preços mundiais (consequência dos subsídios do Governo). O lado da especulação que esperava a possibilidade de que os chineses se tornassem um grande importador do cereal em 2019, foi desapontado!

O mais importante a se relatar é que os estoques de milho dos EUA e em boa parte do mundo permanecerão apertados, apesar da expansão da área plantada do cereal nos EUA em 2019. O consumo mundial total de milho cresceu em média 4% ao ano desde 2012. Esse crescimento deve continuar em 2019/20, em meio a estoques de trigo / grãos menores.