-

Ritmo de colheita da soja continua em velocidade recorde no Brasil

A média do ritmo de colheita em outros anos não chega nem perto do que é visto no atualmente

07 de fevereiro de 2019 às 14h42

Colheita da soja-verão no Brasil atinge 28,5% da área total estimada, sendo o maior avanço da história.

Aproximadamente 28,5% da área total plantada com soja no Brasil já terá sido colhida até esta sexta-feira (8 de fevereiro, 2019). A maioria das regiões sojicultoras do país já iniciaram seus trabalhos de colheita e seguem em ritmos recordes. O ritmo é o maior já visto na história, lembrando que neste ano safra o plantio foi adiantando em 2-3 semanas em todas as regiões. A média do ritmo de colheita em outros anos não chega nem perto do que é visto no atualmente. Entre 2011 e 2016 a média fica em 14,1% colhido para o mesmo período, em 2017 foi observado 16,5% e em 2018 apenas 11,1% (consequência de problemas com um plantio atrasado).

Com intempéries climáticas observadas durante todo o clico da cultura neste ano, muitos talhões dispersos pelo Brasil apresentam uma variabilidade imensa nos números de produtividade. A seca foi o principal fator agravante para a falta de uniformidade no desenvolvimento da soja. Todos os principais estados produtores da oleaginosa no país tiveram, pelo menos, 20 dias de estiagens pontuais, com algumas localidades enfrentando até 47 dias completamente sem chuvas.

-

Ritmo de colheita da soja continua em velocidade recorde no Brasil

A média do ritmo de colheita em outros anos não chega nem perto do que é visto no atualmente

07 de fevereiro de 2019 às 14h42

Colheita da soja-verão no Brasil atinge 28,5% da área total estimada, sendo o maior avanço da história.

Aproximadamente 28,5% da área total plantada com soja no Brasil já terá sido colhida até esta sexta-feira (8 de fevereiro, 2019). A maioria das regiões sojicultoras do país já iniciaram seus trabalhos de colheita e seguem em ritmos recordes. O ritmo é o maior já visto na história, lembrando que neste ano safra o plantio foi adiantando em 2-3 semanas em todas as regiões. A média do ritmo de colheita em outros anos não chega nem perto do que é visto no atualmente. Entre 2011 e 2016 a média fica em 14,1% colhido para o mesmo período, em 2017 foi observado 16,5% e em 2018 apenas 11,1% (consequência de problemas com um plantio atrasado).

Com intempéries climáticas observadas durante todo o clico da cultura neste ano, muitos talhões dispersos pelo Brasil apresentam uma variabilidade imensa nos números de produtividade. A seca foi o principal fator agravante para a falta de uniformidade no desenvolvimento da soja. Todos os principais estados produtores da oleaginosa no país tiveram, pelo menos, 20 dias de estiagens pontuais, com algumas localidades enfrentando até 47 dias completamente sem chuvas.