-

Soja: tempo seco na Argentina prejudica desenvolvimento da safra

As condições mais secas são observadas principalmente na porção noroeste do país, onde em diversas localidades nenhum milímetro de chuva foi registrado durante o mês de setembro

24 de setembro de 2019 às 10h18

Nas últimas semanas as condições têm sido bastante secas nas principais regiões produtoras da Argentina. Durante o mês de setembro os acumulados de chuvas no Centro-Norte do país, onde se concentram quase a totalidade das lavouras, ficaram bem abaixo da normalidade para o período, sendo que apenas uma pequena porção do país na fronteira com o Uruguai, na província de Entre Ríos, recebeu precipitações acumuladas acima de 50 milímetros no período.

As condições mais secas são observadas principalmente na porção noroeste do país, onde em diversas localidades nenhum milímetro de chuva foi registrado durante o mês de setembro. As lavouras de trigo, que encerraram seu plantio por volta do dia 10 de agosto de 2019, já sentem os efeitos do tempo seco, principalmente nas áreas que já entraram em estágio reprodutivo.

O cenário já vem fomentando cortes nas perspectivas de produção total de trigo no país, tendo em vista que 15% da área cultivada já se encontra sob condições hídricas regulares a ruins. A pior situação é no Sudoeste da província de Buenos Aires e no sul de La Pampa, onde as condições desfavoráveis já superam 20% da área cultivada.

O que agrava esta situação são as previsões climáticas pouco otimistas até o final de setembro. Segundo os principais modelos climáticos, as precipitações até o dia 30 de setembro devem ficar confinadas no sudeste da região produtora argentina, e os volumes devem ser baixos, não superando os 20 milímetros nos próximos 07 dias. Nas demais regiões nenhuma chuva é prevista até o final de setembro.

Diferente das lavouras de trigo, que já se encontram em avançado estado de desenvolvimento, o milho está em fase inicial de plantio. Até a última semana cerca de 6% da área de milho já foi cultivada, patamar muito próximo ao observado nas últimas 05 safras. O plantio da soja deve ser iniciado apenas na segunda quinzena de outubro.

-

Soja: tempo seco na Argentina prejudica desenvolvimento da safra

As condições mais secas são observadas principalmente na porção noroeste do país, onde em diversas localidades nenhum milímetro de chuva foi registrado durante o mês de setembro

24 de setembro de 2019 às 10h18

Nas últimas semanas as condições têm sido bastante secas nas principais regiões produtoras da Argentina. Durante o mês de setembro os acumulados de chuvas no Centro-Norte do país, onde se concentram quase a totalidade das lavouras, ficaram bem abaixo da normalidade para o período, sendo que apenas uma pequena porção do país na fronteira com o Uruguai, na província de Entre Ríos, recebeu precipitações acumuladas acima de 50 milímetros no período.

As condições mais secas são observadas principalmente na porção noroeste do país, onde em diversas localidades nenhum milímetro de chuva foi registrado durante o mês de setembro. As lavouras de trigo, que encerraram seu plantio por volta do dia 10 de agosto de 2019, já sentem os efeitos do tempo seco, principalmente nas áreas que já entraram em estágio reprodutivo.

O cenário já vem fomentando cortes nas perspectivas de produção total de trigo no país, tendo em vista que 15% da área cultivada já se encontra sob condições hídricas regulares a ruins. A pior situação é no Sudoeste da província de Buenos Aires e no sul de La Pampa, onde as condições desfavoráveis já superam 20% da área cultivada.

O que agrava esta situação são as previsões climáticas pouco otimistas até o final de setembro. Segundo os principais modelos climáticos, as precipitações até o dia 30 de setembro devem ficar confinadas no sudeste da região produtora argentina, e os volumes devem ser baixos, não superando os 20 milímetros nos próximos 07 dias. Nas demais regiões nenhuma chuva é prevista até o final de setembro.

Diferente das lavouras de trigo, que já se encontram em avançado estado de desenvolvimento, o milho está em fase inicial de plantio. Até a última semana cerca de 6% da área de milho já foi cultivada, patamar muito próximo ao observado nas últimas 05 safras. O plantio da soja deve ser iniciado apenas na segunda quinzena de outubro.