Tratar ou não tratar as sementes de milho, eis a questão

Olá, amigo produtor!

Seguindo com nossas dicas e conceitos sobre as Boas Práticas Agronômicas, hoje vamos abordar o tratamento das sementes. Essa boa prática deve ser feita antes do plantio de milho porque o tratamento assegura o bom estabelecimento da nossa lavoura e um alto potencial produtivo.

O tratamento de sementes, como o próprio nome já diz, é colocar na sua semente produtos químicos e/ou biológicos que vão agregar potencial produtivo ao material que você adquiriu. Esses produtos auxiliam na nutrição das plantas e/ou no combate a pragas e doenças que podem causar sérios danos logo no início da nossa lavoura. Outros benefícios do tratamento de sementes são a uniformidade da germinação, a menor necessidade de replantio e o melhor enraizamento e estabelecimento da lavoura.

Sementes de milho tratadas com diferentes produtos e doses

Sementes de milho tratadas com diferentes produtos e doses. Foto: Paulo Hilst/Universidade Federal de Viçosa

O milho segunda safra, na maioria das propriedades, vem logo depois da soja. Por isso, a presença de percevejos na área é bastante grande. Esse inseto, hoje, é uma das pragas que mais atacam o milho no Brasil e os danos que ele causa nos estágios iniciais da lavoura podem comprometer a produtividade e até matar a plântula. O monitoramento e o controle do percevejo devem ser feitos antes do plantio do milho e as sementes tratadas são uma das ferramentas que os produtores podem usar para isso.

Basicamente o tratamento de sementes é realizado com fungicidas e inseticidas – são os mais comuns. Porém, outros produtos podem ser utilizados (micronutrientes, inoculantes, corantes) e a combinação deles também pode ser feita.

Existem duas formas de se tratar as sementes: na fazenda (on farm) ou pelo sistema industrial (TIS). Se você optar por tratar sua semente na propriedade precisa tomar alguns cuidados e levar em conta todas as normas específicas para o tratamento, além de ter o maquinário para a função. O tratamento industrial de sementes faz parte das etapas do beneficiamento das sementes e é realizado com equipamentos de alta tecnologia.

É muito importante lembrar que, depois de tratadas, as sementes só podem ser utilizadas para o plantio. Semente tratada NÃO PODE ser consumida por animais ou por nós, humanos.

 

Recomendo o tratamento de sementes porque, além de todos os benefícios que vimos aqui, é importante considerar que ele tem custo baixo quando comparado às medidas de controle que devem ser tomadas em lavouras de sementes não tratadas. Não adianta investir em um material genético de alta qualidade e, na hora do plantio, ele não vingar, não é mesmo?

Não deixe de comentar, fazer perguntas ou sugestões aqui no nosso blog e também no Facebook do Boas. Conte para mim sua experiência com o tratamento de sementes.

Até logo!

Uma resposta para “Tratar ou não tratar as sementes de milho, eis a questão”

  1. Marília Rabelo disse:

    Excelente matéria!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *