Agulhas escondidas em morangos causam pânico em consumidores da Austrália

Foto: Joshua Gane/Arquivo Pessoal

Segundo informações das autoridades locais, as ocorrências foram registrados em todos os seis estados do país e já causam prejuízos ao setor

Moradores da Austrália estão aterrorizados após relatos de um crime um tanto quanto estranho: alguém está colocando agulhas de costura dentro de morangos comercializados em supermercados do país. Enquanto os preços caem, as autoridades do governo australiano montaram um forte esquema de investigação para encontrar o culpado.  As informações são do jornal The Washington Post.

Diversos consumidores postaram fotos em suas redes sociais mostrando pequenas agulhas dentro das frutas. De acordo com o jornal local The Australian, só na última semana pelo menos sete casos foram notificados em três estados, o que faz a polícia acreditar que existe mais de uma pessoa trabalhando para “contaminar” os morangos.

Ainda segundo veículo, a indústria de morangos no país lucra cerca de US$ 93 milhões por ano e, por conta disso, o governo anunciou nesta semana que ofereceria uma recompensa de US$ 70.000 mil para quem tiver informações sobre o culpado pelo estranho ataque.

Foto: Joshua Gane/Arquivo Pessoal

“Alguém está tentando sabotar a indústria, mas também está colocando em risco a vida de bebês, crianças e famílias. É simplesmente inaceitável,” disse, em entrevista ao The Washington Post, a governadora de Queensland, Annastacia Palaszczuk.

O prejuízo também atingiu a outra ponta da cadeia alimentar: os produtores rurais. Por conta do medo, os agricultores estão descartando grandes quantidades do alimento, já que o governo suspendeu as compras e orientou os consumidores a não comprarem a fruta até o caso ser solucionado. Além do descarte, a indústria também relatou que os preços caíram abaixo da metade do que era praticado semanas atrás.

Na última sexta-feira, dia 14, a polícia australiana informou em comunicado que seis marcas poderiam ser afetadas, mas autoridades do governo disseram no sábado à imprensa local que apenas três marcas foram retiradas de comercialização.

Na última sexta-feira, a Associação de Produtores de Morango de Queensland divulgou um comunicado informando que tinham motivos para suspeitar de um ex-funcionário descontente com a empresa e que ele poderia ser o responsável pelos ataques

Mas no sábado, dia 15,  o superintendente-chefe da polícia de Queensland, Terry Lawrence, informou que a suspeita da associação é “algo que não assinalamos”.

“Estamos analisando os pontos da cadeia desde o crescimento até a distribuição nas lojas, estamos mantendo uma mente muito aberta”, completou Terry.

Leia também:

Kenia Santos, de São Paulo (SP)