A produção atual de grãos é suficiente para alimentar todo o planeta

Amélio Dall’Agnol, pesquisador da Embrapa Soja

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, da sigla em inglês), o mundo produz atualmente cerca de 2,5 bilhões de toneladas de grãos. É mais do que o necessário para atender a demanda global, mas, mesmo assim, tem quase um bilhão de cidadãos passando fome, mundo afora.

Os países que mais contribuem na produção desses grãos são – pela ordem de importância – China, Estados Unidos, Brasil, Índia e Indonésia. A China, apesar da sua enorme produção agrícola, importa alimentos para suprir as necessidades alimentares da sua grande população (1,43 bilhão de pessoas), maior que as populações juntas da América do Sul, Central e do Norte.

Produção de soja. Foto: RRRufino.

Sem ser um grande produtor de soja, a China é o maior consumidor global do produto por causa do grande consumo interno destinado à produção de carnes (suínos, aves e peixes, principalmente). Mais de 70% da soja exportada pelo Brasil vai para o mercado chinês, que responde pela importação de mais de 60% da soja exportada globalmente, o que muito contribuiu para que esse país se tornasse o principal parceiro comercial do Brasil, responsável por mais de 20% do nosso comércio exterior.

Com produção aproximada de 1,1 bilhão de toneladas, o milho é o grão mais produzido no mundo. EUA, China e Brasil são os principais produtores do cereal, com diferenças expressivas entre eles: 360, 210 e 98 milhões de toneladas, respectivamente, no ano de 2017. Juntos, respondem por cerca de 60% da produção mundial.

A produção de trigo (754 milhões de toneladas) e de arroz (487 milhões de toneladas) na safra 2016/2017 formam com o milho, o principal trio de grãos produzidos em nível mundial. A soja vem em 4º lugar, com produção de cerca de 350 milhões de toneladas. China, Índia e Bangladesh lideram a produção de trigo, enquanto que União Europeia, Rússia e EUA lideram as exportações e Egito, Indonésia, Argélia e Brasil, lideram as importações do cereal.

O arroz está fortemente concentrado na Ásia. China, Índia e Indonésia lideram sua produção, enquanto que a exportação é liderada pela Índia, Tailândia e Vietnã, sendo a China, Nigéria e Irã os maiores importadores.

Apesar de estar sobrando alimentos no mundo e de seu preço ter sido reduzido significativamente no correr das últimas décadas, boa parcela da população de 38 países está passando fome, não pela falta do alimento, mas por causa da má distribuição da renda. Os famintos são vítimas da falta de dinheiro para comprar o alimento, não pela falta deste.

Leia também: