Uso de imagens obtidas com drones para avaliar o estande e o crescimento da soja

Alvadi Antonio Balbinot Junior, Julio Cezar Franchini e Henrique Debiasi, pesquisadores da Embrapa Soja

Na última década, imagens aéreas obtidas com drones têm proporcionado novas visões do ambiente produtivo, subsidiando a tomada de decisão sobre práticas para aprimorar os sistemas de produção, focando no aumento da produtividade e/ou redução de custos. A avaliação de índices de vegetação, obtidos a partir de imagens aéreas, representa um recurso rápido, econômico e confiável, facilitando o monitoramento da lavoura de forma não destrutiva e em tempo real. Para avaliar e monitorar o crescimento das culturas foram desenvolvidos diversos índices de vegetação, que consistem em operações algébricas de valores obtidos de diferentes faixas do espectro, principalmente nas regiões do visível e do infravermelho próximo, também denominadas bandas espectrais. Posteriormente, é possível correlacionar esses índices com vários atributos das culturas, como, por exemplo, a produção de biomassa e a produtividade de grãos.

Em trabalhos desenvolvidos na Embrapa Soja, foi possível detectar falhas de estande da soja por meio de imagens obtidas com o drone Quadricoptero Phantom 4 Pro®, equipado com câmera simples RGB (azul, verde e vermelho) (Figura 1). Essa avaliação é relevante para analisar a magnitude das falhas de estande em determinada lavoura e, principalmente, subsidiar a análise sobre as possíveis causas geradoras das falhas.

Figura 1. Falhas de estande da soja visualizadas com imagem aérea obtida com drone. Fonte: Franchini et al. (2018).

Outra aplicação prática relevante das imagens aéreas e índices de vegetação é a avaliação do crescimento de plantas de soja, com base na relação entre as bandas no comprimento de onda do verde e do vermelho. Em trabalho desenvolvido em uma área de produção de soja foram feitos mapas do índice de vegetação MPRI em quatro momentos do ciclo da soja, sendo que o índice avaliado no início do enchimento dos grãos (04/01/2018) teve correlação positiva com a produtividade de grãos (Figura 2). Nesse contexto, o uso de imagens aéreas é uma ferramenta importante para o avanço da agricultura de precisão.

Figura 2. Mapas da variabilidade espacial da produtividade da soja e do índice de vegetação MPRI da cultura em quatro momentos do ciclo. Embrapa/Coamo, 2018. Fonte: Franchini et al. (2018).