-

Governo sonda engenheiro catarinense para presidir a Embrapa

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem falado que vai anunciar o nome do novo ocupante do cargo até o fim de setembro

06 de setembro de 2019 às 21h07
 Carlos Alberto Schneider

Carlos Alberto Schneider. Foto: Fapeam

O doutor em Engenharia  é um dos nomes cotados pelo governo federal para assumir a presidência da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Premiado e respeitado no meio científico, ele é fundador e presidente do conselho de curadores da Fundação Certi (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras), de Florianópolis (SC), uma das mais importantes instituições de pesquisa, desenvolvimento de tecnologias e inovação do país, principalmente na área de mecânica. A entidade, criada por ele em 1984, tem grande conexão e parcerias com a comunidade empresarial e gera negócios bilionários por ano. Schneider foi superintendente geral da organização da fundação até 2015.

O Canal Rural tentou contato com Carlos Alberto Schneider, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

A presidência da Embrapa é exercida de forma interina pelo diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, Celso Moretti, desde o dia 17 de julho, quando o Ministério da Agricultura exonerou o então presidente Sebastião Barbosa.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem falado que vai anunciar o nome do novo presidente até o fim de setembro. Mas Carlos Alberto Schneider não é o único no páreo. Segundo o presidente do Conselho de Administração da Embrapa (Consad), Fernando Camargo, outras pessoas estão em vista. Camargo também afirmou que não existe uma decisão sobre a manutenção ou troca dos três diretores-executivos: Celso Moretti, Cléber Soares e Lúcia Gatto.

O governo quer alguém do setor privado para a presidência da Embrapa, uma pessoa de fora do quadro de funcionários. O desafio é achar alguém “comprometido com a causa” de revitalizar a empresa e aproximar a pesquisa da aplicação das tecnologias no campo.

Conselho de Administração

O governo também deve criar mais duas vagas no Conselho de Administração da Embrapa para colocar pessoas ligadas ao setor. Um dos convidados para assumir o cargo de conselheiro foi o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues.

Atualmente, o Consad é composto pelo secretário de Inovação do Ministério da Agricultura, Fernando Camargo (presidente); o secretário de Relações Internacionais e Comércio Exterior da pasta, Orlando Ribeiro (vice-presidente); o presidente interino da empresa, Celso Moretti (membro); o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes (membro); Eudes de Gouveia Varela (membro e representante do Ministério da Economia); Claudia de Araújo Guimarães Kattar (membro e representante do Ministério da Economia); e Antonio Maciel Botelho Machado (membro e representante dos empregados da Embrapa).

-

Governo sonda engenheiro catarinense para presidir a Embrapa

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem falado que vai anunciar o nome do novo ocupante do cargo até o fim de setembro

06 de setembro de 2019 às 21h07
 Carlos Alberto Schneider

Carlos Alberto Schneider. Foto: Fapeam

O doutor em Engenharia  é um dos nomes cotados pelo governo federal para assumir a presidência da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Premiado e respeitado no meio científico, ele é fundador e presidente do conselho de curadores da Fundação Certi (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras), de Florianópolis (SC), uma das mais importantes instituições de pesquisa, desenvolvimento de tecnologias e inovação do país, principalmente na área de mecânica. A entidade, criada por ele em 1984, tem grande conexão e parcerias com a comunidade empresarial e gera negócios bilionários por ano. Schneider foi superintendente geral da organização da fundação até 2015.

O Canal Rural tentou contato com Carlos Alberto Schneider, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

A presidência da Embrapa é exercida de forma interina pelo diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, Celso Moretti, desde o dia 17 de julho, quando o Ministério da Agricultura exonerou o então presidente Sebastião Barbosa.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem falado que vai anunciar o nome do novo presidente até o fim de setembro. Mas Carlos Alberto Schneider não é o único no páreo. Segundo o presidente do Conselho de Administração da Embrapa (Consad), Fernando Camargo, outras pessoas estão em vista. Camargo também afirmou que não existe uma decisão sobre a manutenção ou troca dos três diretores-executivos: Celso Moretti, Cléber Soares e Lúcia Gatto.

O governo quer alguém do setor privado para a presidência da Embrapa, uma pessoa de fora do quadro de funcionários. O desafio é achar alguém “comprometido com a causa” de revitalizar a empresa e aproximar a pesquisa da aplicação das tecnologias no campo.

Conselho de Administração

O governo também deve criar mais duas vagas no Conselho de Administração da Embrapa para colocar pessoas ligadas ao setor. Um dos convidados para assumir o cargo de conselheiro foi o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues.

Atualmente, o Consad é composto pelo secretário de Inovação do Ministério da Agricultura, Fernando Camargo (presidente); o secretário de Relações Internacionais e Comércio Exterior da pasta, Orlando Ribeiro (vice-presidente); o presidente interino da empresa, Celso Moretti (membro); o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes (membro); Eudes de Gouveia Varela (membro e representante do Ministério da Economia); Claudia de Araújo Guimarães Kattar (membro e representante do Ministério da Economia); e Antonio Maciel Botelho Machado (membro e representante dos empregados da Embrapa).